Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Proibido circular de e para a Área Metropolitana de Lisboa ao fim de semana

17 jun, 2021 - 13:26 • Redação

A medida entra em vigor às 15h00 de sexta-feira. Dez concelhos não avançam no desconfinamento e 20 estão em alerta.

A+ / A-

Veja também:


Entrar e sair da Área Metropolitana de Lisboa (AML) vai ser proibido durante os fins de semana devido ao agravamento da pandemia de Covid-19, decidiu esta quinta-feira o Conselho de Ministros.

A medida entra em vigor às 15h00 de sexta-feira e vigora até às 06h00 da manhã de segunda-feira. Vai abranger cerca de 2,9 milhões de pessoas.

A ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, diz que a restrição tem enquadramento na lei de proteção civil e de saúde pública, estando o país em estado de calamidade.

As restrições de circulação aplicam-se aos 18 municípios da AML. Está também previsto um reforço da fiscalização na região.

A ministra destacou, em conferência de imprensa, que esta é uma medida nova de controlo da pandemia, que "não é fácil nem desejada por ninguém, mas que é necessária" para conter o agravamento da incidência da doença nesta região, sobretudo com a prevalência da variante "delta" do coronavírus.

Lisboa estagnou na semana passada na quarta fase do processo de desconfinamento, correspondente às medidas aplicadas em 1 de maio.

A proibição de entrar e sair da Área Metropolitana de Lisboa (AML) durante os fins de semana pretende que "a elevada incidência [de covid-19] que se faz sentir nesta região não se transporte para fora dela", disse Mariana Vieira da Silva.

A ministra admite que Portugal venha a travar a passagem a uma nova fase de desconfinamento, prevista para a próxima semana, face à evolução negativa da situação epidemiológica da covid-19.

"A situação de Portugal já não é próxima do verde, é claramente entre a zona do amarelo e do vermelho", avisou.

Portugal continental tem agora uma incidência de 90,5 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes e um índice de transmissibilidade R(t) de 1,13, o que significa que um infetado transmite o vírus a mais do que uma pessoa.

Dez concelhos não avançam no desconfinamento

Alcanena, Paredes de Coura, Santarém e Vale de Cambra recuperaram e avançam na fase de desconfinamento, anuncia a ministra Mariana Vieira da Silva.

Dez concelhos não avançam na fase de desconfinamento, determinou o Conselho de Ministros desta quinta-feira.

O concelho de Sesimbra está na zona vermelha e não acompanha o desconfinamento, que pela segunda semana consecutiva teve mais de 240 casos de Covid por 100 mil habitantes.

Ao município de Sesimbra aplicam-se as medidas de risco muito elevado, de 19 de abril. Sesimbra fica com regras de maior restrição, nomeadamente o encerramento da restauração e do estabelecimentos às 15h30 durante o fim de semana, adiantou a ministra da Presidência.

Outros nove concelhos também fazem pausa no desconfinamento, por terem mais de 120 casos por 100 mil habitantes. Nos concelhos de Albufeira, Arruda dos Vinhos, Braga, Cascais, Lisboa, Loulé, Odemira, Sertã e Sintra "encontram-se na fase em que estávamos antes desta nova fase de desconfinamento".

Encerramento dos restaurantes e cafés às 22h30 e a manutenção de restrições no que diz respeito à assistência de atividades desportivas ou maiores restrições no setor dos transportes", disse Mariana Vieira da Silva. Confira aqui a lista de restrições.

Além destes casos, há 20 concelhos em alerta na próxima semana: Alcochete, Águeda, Almada, Amadora, Barreiro, Grândola, Lagos, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Sardoal, Seixal, Setúbal, Sines, Sobral de Monte Agraço e Vila Franca de Xira.

Evolução da Covid-19 em Portugal

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • maria ribeiro
    17 jun, 2021 lisboa 20:12
    Marcelo já disse que não voltará ao estado de emergência, que permite suspender alguns dos nossos direitos constitucionais.Assim, duvido que o Governo tenha autoridade legal para as restrições que decide. O caso deveria ser posto aos tribunais, julgo que há abuso de poder.

Destaques V+