Tempo
|
Três por Todos - Assista ao direto Três por Todos - Participe nos leilões
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
A+ / A-

EUA compram 500 milhões de doses da vacina da Pfizer para dar a países "desfavorecidos"

10 jun, 2021 - 11:31 • Lusa

As vacinas serão distribuídas "a 92 países desfavorecidos" através do sistema Covax, criado para garantir a distribuição equitativa de vacinas, e deverão começar a ser enviadas em agosto deste ano.

A+ / A-

Veja também:


Os Estados Unidos da América (EUA) vão comprar 500 milhões de doses da vacina da Pfizer/BioNTech contra a Covid-19 para doar a países com escassez do fármaco, adiantou esta quinta-feira a Casa Branca.

“Esta é a maior encomenda e doação de vacinas feita por um único país e um compromisso do povo americano em ajudar a proteger as populações de todo o mundo contra a Covid-19”, disse o executivo norte-americano.

As vacinas serão distribuídas "a 92 países desfavorecidos" através do sistema Covax, criado para garantir a distribuição equitativa de vacinas.

As doses vão começar a ser enviadas em agosto, estimando-se a entrega de 200 milhões de doses até ao final do ano.

As outras 300 milhões de doses serão entregues até junho de 2022, referiu a Casa Branca.

Os fármacos serão produzidas em fábricas americanas. O Presidente norte-americano, Joe Biden, deverá fazer o anúncio desta decisão durante a viagem ao Reino Unido, naquela que é a sua primeira deslocação como presidente no estrangeiro.

O dirigente democrata, que tem defendido o regresso "dos Estados Unidos" no cenário internacional, participará no final da semana na Cimeira do G7 na Cornualha, sudoeste de Inglaterra, onde a gestão da pandemia estará entre os principais temas de discussão.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+