Tempo
|
A+ / A-

Macron e Merkel exigem "esclarecimento total" à Dinamarca e EUA sobre espionagem

31 mai, 2021 - 19:51 • Lusa

De acordo com uma investigação da televisão pública dinamarquesa, os EUA usaram até, pelo menos, 2014 a rede de cabos submarinos dinamarqueses para escutar os líderes da Alemanha, Suécia, Noruega e França.

A+ / A-

O Presidente francês, Emmanuel Macron, e a chanceler alemã, Angela Merkel, pediram segunda-feira um "esclarecimento total" à Dinamarca e aos EUA sobre as alegações de espionagem contra líderes europeus.

"Se a informação estiver correta (...) não é aceitável entre aliados" e "menos ainda entre aliados e parceiros europeus", reagiu Macron no final de um conselho de ministros franco-alemão, com palavras que a chanceler alemã aprovou de imediato.

"Estou ligado ao vínculo de confiança que une europeus e americanos. (...) Não há espaço para suspeitas entre nós. É por isso que esperamos clareza total. Pedimos aos nossos parceiros dinamarqueses e norte-americanos para fornecerem todas as informações sobre essas revelações e sobre esses factos passados. E aguardamos as respostas", disse o Presidente francês.

"Só posso associar-me às palavras de Emmanuel Macron. Fui tranquilizada pelo facto de o Governo dinamarquês, incluindo o ministro da Defesa, também ter deixado muito claro o que pensa sobre este tema (...) É uma boa base, não só para esclarecer os factos, mas também para estabelecer relações de confiança", acrescentou Angela Merkel.

De acordo com uma investigação da televisão pública dinamarquesa - baseada em relatórios confidenciais dos serviços de informação militar dinamarqueses - Washington usou, até pelo menos 2014, a rede de cabos submarinos dinamarqueses para escutar líderes de quatro países (Alemanha, Suécia, Noruega, França).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    01 jun, 2021 Lisboa 08:26
    Talvez a Dinamarca devesse deixar de ser independente.

Destaques V+