Tempo
|
A+ / A-

Pirataria Informática

Maior fornecedora de petróleo dos EUA pagou cinco milhões de dólares a "hackers" russos

13 mai, 2021 - 21:58 • Redação

Ataque informático levou Colonial Pipeline a encerrar os quatro maiores oleodutos no este e sudeste do país, como precaução.

A+ / A-

A Colonial Pipeline pagou quase cinco milhões de dólares (cerca de quatro milhões de euros) de resgate aos piratas informáticos russos que operaram um ciberataque sobre parte da sua rede de fornecimento de petróleo, de acordo com as autoridades norte-americanas.

A Colonial Pipeline, que coordena a maior rede de oleodutos dos Estados Unidos, anunciou, na sexta-feira, que tinha sofrido um ataque informático e que encerrara os seus quatro maiores oleodutos no este e sudeste do país como precaução. Os preços do petróleo subiram e algumas estações de abastecimento ficaram sem combustível, o que levou a uma declaração de emergência para que fosse autorizado a que os camionistas dos combustíveis dos estados afetados trabalhassem mais horas do que os regulamentos federais normalmente permitem.

O porta-voz das autoridades norte-americanas não especificou como ou quando o pagamento foi efetuado. A Colonial Pipeline informou, na quarta-feira, que já estava a retomar as operações.

Suspeita-se que o grupo de piratas informáticos que atacou a Colonial Pipeline, chamado DarkSide, opera na Rússia, ainda que não haja indícios de que esteja ligado ao governo daquele país.

Ainda assim, na segunda-feira, o Presidente dos EUA, Joe Biden, disse que terá "uma conversa" com o homólogo russo, Vladimir Putin, sobre aquele e outros grupos de "hackers". "Eles têm alguma responsabilidade de lidar com esta situação", afirmou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+