Tempo
|
A+ / A-

​Ministro defende legalidade da requisição do Zmar, que pode acolher 120 pessoas

04 mai, 2021 - 14:51 • Redação

Eduardo Cabrita afirma que, se for necessário, o "parque de campismo" irá receber entre 90 a 120 pessoas no âmbito do esforço para conter a pandemia de Covid-19 no concelho de Odemira.

A+ / A-

Veja também:


O ministro da Administração Interna defende a legalidade da requisição do resort turístico Zmar, no concelho de Odemira, para acolher, temporariamente, pessoas sem condições nos seus alojamentos durante a cerca sanitária por causa da pandemia de Covid-19 em duas freguesias do concelho alentejano.

Um dia depois de o bastonário da Ordem dos Advogados, Menezes Leitão, ter considerado que a medida viola a Constituição, Eduardo Cabrita invocou, no final de uma reunião na Câmara de Odemira, a Lei de Bases da Proteção Civil.

"Estão identificadas 22 situações de alojamento que levantam sérias reservas sobre condições de salubridade e todas essas pessoas serão testadas a partir de hoje. Sobre os mecanismos de resposta de retaguarda o que temos é uma elevação desses mecanismos de resposta. Anteriormente, estavam longe. Basicamente era a base aérea de Beja e a base naval do Alfeite", começou por explicar Eduardo Cabrita.

A pousada da juventude de Almograve vai acolher pessoas com Covid-19 que estejam assintomáticas e "que não tenham condições de permanência na habitação" e os negativos "poderão ser colocados na residência de estudantes de Odemira e no parque de campismo Zmar, que está em situação de insolvência, e dispõe de uma capacidade que não tem a ver com as estruturas ocupadas por pessoas com direitos de permanência".


O ministro argumenta que "a Lei de Bases da Proteção Civil prevê o recurso a requisição civil em situação de calamidade" e é nesse quadro que entre 90 a 120 pessoas poderão ser acolhidas no Zmar, "se for necessário".

"Não tem sentido tanta coisa que tem sido dita de pessoas serem retiradas das suas residenciais secundárias ou principais. Isso não interessa. O que está em causa é que estamos perante uma unidade que está licenciada como parque de campismo, está em insolvência, é com o administrador de insolvência que o Ministério da Economia tem dialogado", refere o governante.

Questionado se as pessoas serão colocadas nas casas do empreendimento ou nas adquiridas por particulares, Eduardo Cabrita respondeu: "não vou qualificar a natureza jurídica do direito de uso. Estamos a falar de um parque de campismo insolvente, do qual o Estado é o maior credor. Está encerrado na sua atividade e é nesse quadro que está disponível ao lado das outras duas unidades. O primeiro direito humano neste ano de pandemia é o direito à saúde e o segundo a condições dignas para prevenir e recuperar de situações de fragilidade, doença ou isolamento profilático", sublinha o ministro da Administração Interna.

Nestes declarações aos jornalistas, Eduardo Cabrita adiantou que a incidência de casos de Covid-19 está a baixar nas duas freguesias de Odemira com cercas sanitárias, mas o ministro da Administração Interna dá a entender que as restrições devem continuar, pelo menos, mais uma semana porque a referência usada é o número de casos a 14 dias.

Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais quatro mortos e 258 infetados com Covid-19. O boletim diário da Direção-Geral da Saúde indica novo recuou do números de casos ativos que estão agora abaixo dos 23 mil (22.833), menos 523 do que ontem.

A região do Alentejo registou seis novos casos e nenhuma morte no última dia.

Covid-19 por regiões

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Americo Anastacio
    04 mai, 2021 Leiria 19:53
    Que País é este que tem como ministro da administração interna uma "personagem" inarrável como esta ? Só mesmo com um povo manso, como somos.
  • Onde anda a Oposição
    04 mai, 2021 PSD procura novo líder 18:52
    Só fala o PS e o Cabrita. Da "oposição" nem uma palavra - excepto o Chega! Mais do que uma nova política, precisamos é dum novo líder para o PSD. Após 3 anos de Rui Rio, começa-se a ter dúvidas sobre se o PSD ainda existe ...
  • António dos Santos
    04 mai, 2021 Coimbra 15:55
    Este ministro tem demonstrado uma total incompetência!! Desde quando é legal fazer requisição civil, de casas onde vive gente ou estão apetrechadas e equipadas, para outras pessoas invadirem o seu espaço privado. Porque não obriga o governo os vigaristas dos proprietários agrícolas a darem as suas casas e serem condenados pela situação desumana que esses imigrantes estão a sofrer, por causa dessa escumalha, que é ladra do trabalho dos outros. O que estão a fazer as nossas pseudo-autoridades. PORTUGAL E A JUSTIÇA PORTUGUESA É UMA VERGONHA!!!!
  • ssscarreira srca
    04 mai, 2021 Porto 14:56
    Zmar é dinheiro dos contribuintes estado deve resolver problema negociar e ficar na poce da propriedade

Destaques V+