Tempo
|
Henrique Monteiro n´As Três da Manhã
Segundas e sextas-feiras, às 9h20, n'As Três da Manhã
A+ / A-
Arquivo
Estatuto do Cuidador Informal. Avisos de Marcelo têm caído “em saco roto” - Henrique Monteiro
Estatuto do Cuidador Informal. Avisos de Marcelo têm caído “em saco roto” - Henrique Monteiro

Henrique Monteiro

Estatuto do Cuidador Informal. Avisos de Marcelo têm caído “em saco roto”

19 abr, 2021 • Marta Grosso


Henrique Monteiro comenta o resultado do inquérito conhecido nesta segunda-feira, segundo o qual quase 60% dos cuidadores informais desconhecem a existência de um estatuto.

“Não sei se é um elefante branco, mas é qualquer coisa estranha que está no meio da sala”, admite o comentador d’As Três da Manhã.

No seu entender, os apelos e avisos deixados pelo Presidente da República para que se passe à prática nesta matéria e se torne a lei exequível “caem em saco roto”, até porque, diz, “há uma questão económica importante”: quem não vai para o lar, poupa dinheiro ao Estado.

É sempre melhor manter as pessoas em casa, defendem também os médicos, mas quem tem de se desempregar para cuidar de um familiar “acaba por perder mais dinheiro do que o que vai receber”, diz Henrique Monteiro.

Além disso, o estatuto “é só para familiares diretos” e “não há nada para quem tem de cuidar de idosos sem ser familiar direto”. Todas estas pessoas que cuidam dos idosos que estão em casa são equiparadas a trabalhadores domésticos “e de doméstico não tem nada”.

“Uma pessoa com 80 e muitos tem sempre uma deficiência, nunca está a 100%”, sublinha ainda.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria A Catapirra
    22 abr, 2021 barreiro 13:04
    Antes de fazerem declaração públicas deviam de ter informações sobre a matéria que vão analisar. Será que o comentador conhece o conceito de Cuidador Informal, tem noção da situação crítica em que os mesmos são obrigados a viver? Se os CI tivessem condições para contratar empregadas domésticas, que têm uma profissão declarada, com vencimento e pagamento de impostos não andavam há anos a pedir o seu reconhecimento.