Tempo
|
A+ / A-

Pandemia

Governadores brasileiros pedem à ONU ajuda para vacinas e medicamentos

17 abr, 2021 - 08:49 • Lusa

O país, que enfrenta atualmente a pior fase da pandemia, totaliza 368.749 mortes e 13,8 milhões de infetados pelo novo coronavírus.

A+ / A-

Veja também:


Os governadores brasileiros pediram à Organização das Nações Unidas (ONU) "ajuda humanitária" para a aquisição de vacinas contra a Covid-19 e de medicamentos para a intubação de pacientes infetados.

Estes responsáveis reuniram-se virtualmente com a secretária-geral adjunta da ONU, Amina Mohamed.

“Temos uma procura e uma preocupação nacional em relação à imunização brasileira. A situação que enfrentamos no Brasil é especialmente dramática em função não só de falta de coordenação nacional, mas também desse enfrentamento às políticas de distanciamento que nos ajudariam a reduzir a incidência do vírus, o que acabou criando essa triste situação de milhares de mortes diárias”, disse o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite.

A proximidade do inverno foi destacada na reunião como mais um motivo de preocupação em algumas regiões do país, uma vez que a queda das temperaturas faz surgir uma série de outras doenças respiratórias.

"Sabemos que a mudança do clima traz novas demandas, que farão com que mais pessoas procurem atendimento. Por isso, apelamos à ONU para que colabore no sentido de articular internacionalmente para que o Brasil possa vir a ser priorizado na entrega de vacinas, para que possamos conter o avanço do coronavírus nas diversas regiões do país”, acrescentou Leite, citado no site do executivo do Rio Grande do Sul.

Já o Governador do Piauí, Wellington Dias, alertou para a escassez de medicamentos para intubação de pacientes infetados, como sedativos.

“São 11 estados em que pacientes estão internados e faltam analgésicos, sedativos, em alguns lugares oxigénio. Ou seja, há necessidade de a ONU dar essa ajuda humanitária nessa direção”, explicou Dias.

Segundo a imprensa brasileira, citando vários profissionais de saúde, alguns pacientes intubados tiveram de ser amarrados às camas, ao acordarem e tomarem consciência, por falta de sedativos.

No final da reunião, Wellington Dias destacou à imprensa que os governadores procuraram a ajuda da ONU porque o Governo Federal, presidido por Jair Bolsonaro, não o fez.

O Brasil, que enfrenta atualmente a pior fase da pandemia, totaliza 368.749 mortes e 13,8 milhões de infetados pelo novo coronavírus.

A pandemia provocou, pelo menos, 2.987.891 mortos no mundo, resultantes de mais de 139 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+