Tempo
|
Três por Todos - Assista ao direto Três por Todos - Participe nos leilões
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
Tudo sobre o EURO 2020 Últimas Notícias
A+ / A-

Operação Marquês: Decisão "não é a favor nem contra ninguém", diz juiz Ivo Rosa

09 abr, 2021 - 15:38 • Lusa

"Esta é uma decisão correta, independente, imparcial. Não é a favor nem contra ninguém. Obedece à lei. A pressão pública não pode colocar em causa os princípios fundamentais e as garantias dos arguidos", afirmou Ivo Rosa no início da sessão onde será feita a leitura da decisão instrutória da Operação Marquês.

A+ / A-

O juiz Ivo Rosa disse hoje que a decisão instrutória da Operação Marquês será "correta, independente, imparcial" e que "não é a favor nem contra ninguém".

"Esta é uma decisão correta, independente, imparcial. Não é a favor nem contra ninguém. Obedece à lei. A pressão pública não pode colocar em causa os princípios fundamentais e as garantias dos arguidos", afirmou Ivo Rosa no início da sessão onde será feita a leitura da decisão instrutória da Operação Marquês.

O juiz sublinhou que a fase de instrução serve para "analisar os elementos de prova, diretos ou indiretos, de forma fundamentada e saber se estes são suficientes para mandar os arguidos a julgamento e ainda se existe uma grande probabilidade de condenação".

"Não há gosto pessoal em relação à prova indireta indiciária", sustentou.

Ivo Rosa fez também uma alusão às "constantes violações do segredo de justiça", destacando a volumetria e complexidade do processo para justificar o tempo que demorou - quase dois anos - a divulgar a decisão.

Segundo o juiz, a decisão tem mais de 6.600 páginas.

Na sala de audiências estão vários arguidos, entre os quais o ex-primeiro ministro José Sócrates, o advogado Gonçalo Trindade Ferreira e Rui Mão de Ferro, sócio, administrador e gerente de diversas empresas.

Os procuradores do Ministério Público Rosário Teixeira e Vítor Pinto também estão presentes na leitura da decisão instrutória.

Seis anos após ter sido detido no aeroporto de Lisboa, o ex-primeiro-ministro José Sócrates e os outros 27 arguidos da Operação Marquês sabem hoje se vão a julgamento e por que crimes serão pronunciados.

Além de Sócrates, no processo estão também outras figuras públicas, como o ex-presidente do BES Ricardo Salgado, o antigo ministro socialista e ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos Armando Vara, os ex-líderes da PT Zeinal Bava e Henrique Granadeiro, o empresário Helder Bataglia e Carlos Santos Silva, alegado testa-de-ferro do ex-primeiro-ministro e seu amigo de longa data.

No processo estão em causa 189 crimes económico-financeiros.

A fase de instrução começou em 28 de janeiro de 2019, sob a direção do juiz Ivo Rosa, do Tribunal Central de Instrução Criminal, que hoje está a ler a sua decisão, no Campus da Justiça, em Lisboa, sendo esta passível de recurso, caso os arguidos não sejam pronunciados nos exatos termos da acusação.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+