Tempo
|
A+ / A-

Navios já começaram a atravessar o Canal do Suez

30 mar, 2021 - 00:08 • Lusa

Mais de 400 navios carregados com mercadorias, petróleo e gado estavam bloqueados nas duas extremidades do canal.

A+ / A-

Navios retidos no Mediterrâneo desde há quase uma semana começaram a atravessar esta noite o Canal do Suez, depois de resolvido o bloqueio criado pelo encalhe do porta-contentores Ever Given.

Os primeiros navios começaram a circular no canal cerca das 18h00 locais (17h00 de Lisboa), anunciou o almirante Osama Rabie, presidente da Autoridade do Canal do Suez, durante uma conferência de imprensa, em Ismailia, durante a noite de segunda-feira.

Este dirigente egípcio acrescentou que o objetivo inicial era fazer passar 113 navios pelo canal entre as 18h00 e as 08h00 locais (07h00 de Lisboa), nos dois sentidos.

No total, mais de 400 navios, carregados com mercadorias, petróleo e gado, estavam bloqueados nas duas extremidades do canal.

Raie previu que a situação fique normalizada dentro de três dias e meio nesta rota, de 190 quilómetros, que liga o Mar Vermelho ao Mediterrâneo.

A seguradora Allianz estimou que as perdas económicas diárias resultantes de um dia de bloqueio do canal se situem entre seis mil milhões e dez mil milhões de dólares (entre cinco mil milhões e 8,5 mil milhões de euros)

O valor total dos bens bloqueados ou que tiveram de recorre a outras rotas difere segundo as estimativas, que se situam entre três mil milhões e nove mil milhões de dólares.

Segundo as autoridades do canal, o Egito perdeu entre 12 mil milhões e 15 mil milhões de dólares por dia com o fecho do canal, que foi utilizado por cerca de 19 mil navios em 2020.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José J C Cruz Pinto
    30 mar, 2021 ÍLHAVO 15:51
    Atravessado esteve o navio que bloqueava o canal. Se os outros fizerem o mesmo, ...

Destaques V+