Tempo
|
A+ / A-

Quaresma. Papa propõe "jejum das intrigas e das calúnias”

28 fev, 2021 - 13:26

A proposta para o caminho da Quaresma, deixada este domingo no final do Angelus, passa por não dizer mal dos outros, nem bisbilhotar e "é um belo jejum”.

A+ / A-
Papa. "Aconselho-vos um jejum que não vos causará fome: jejuar das intrigas e das calúnias"
Papa. "Aconselho-vos um jejum que não vos causará fome: jejuar das intrigas e das calúnias"

O Papa Francisco propõe um novo tipo de jejum, “que não vos causará fome: jejuar das intrigas e das calúnias”.

A proposta para o caminho da Quaresma, deixada este domingo no final do Angelus, passa por não dizer mal dos outros, nem bisbilhotar, e está ao alcance de todos.

“É um belo jejum”, sublinhou Francisco. “E não se esqueçam que também será útil ler todos os dias uma passagem do Evangelho, levá-lo no bolso, ou na carteira, pegar nele e ler um excerto qualquer”, porque “ isto faz abrir o coração ao Senhor”.

Ainda no final da oração, o Papa condenou o rapto de 317 raparigas no noroeste da Nigéria e convidou todos a rezar pela sua libertação e rápido regresso a casa. Também neste dia mundial das doenças raras, que hoje se assinala, Francisco apelou ao reforço das redes de solidariedade familiar, para que não falte apoio e carinho aos doentes, especialmente às crianças com este tido de doenças.

Contra a preguiça espiritual

Nas reflexões que fez sobre o Evangelho de hoje, o Papa alertou para o risco da preguiça espiritual: “Estamos bem connosco, com as nossas orações e liturgias e basta-nos isto. Não!”.

A propósito do episódio da Transfiguração no cimo da montanha, em que os apóstolos também tentaram não sair de lá, Francisco esclareceu que “subir à montanha não é esquecer a realidade; rezar é nunca escapar das adversidades da vida; a luz da fé não serve para uma bela emoção espiritual". Por isso, “somos chamados a fazer experiência do encontro com Cristo para que, iluminados pela sua luz, a possamos levar e fazer brilhar em todo o lado”.

A missão do cristão, concluiu o Papa, é “acender pequenas luzes no coração das pessoas; ser pequenas lâmpadas do Evangelho que levem um pouco de amor e de esperança”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+