Tempo
|
A+ / A-

Coronavírus

Covid-19. DGS fixa novas regras para testagem em escolas, empresas e prisões

26 fev, 2021 - 00:35 • Redação

Testagem a cada duas semanas estava prevista para concelhos com 480 novos casos por 100 mil habitantes. Novas regras vão considerar incidências inferiores, mas a DGS não adianta o número a ter em conta para preencher o critério para testagem maciça.

A+ / A-

Veja também:


A Direção-Geral da Saúde vai alterar as regras para a testagem em escolas, empresas e prisões, avançou esta quinta-feira o jornal “Público”.

Até agora, a campanha de testagem a cada duas semanas estava prevista para os concelhos com uma taxa de incidência de 480 novos casos por 100 mil habitantes.

O “Público” revela que, em função da evolução da situação epidemiológica, a DGS vai considerar incidências inferiores, mas não esclarece qual o número a ter em conta para que os concelhos fiquem dentro do universo de testagem maciça.

O jornal acrescenta, ainda, que a nova estratégia de testagem prevê, também, o alargamento do universo de pessoas a testar.

Até terça-feira, eram testados apenas os contactos considerados de alto risco; agora serão testados os “doentes com suspeita de infeção por SARS-CoV-2” e “contactos de alto e baixo risco de um caso confirmado”.

Estão também já a ser feitos rastreios regulares nos serviços de saúde e “nas populações vulneráveis” (lares de idosos).

Segundo a DGS, “a nova versão, em preparação, consolidará os eixos estratégicos definidos, tendo sempre em vista o seu alinhamento com as necessidades a nível nacional e com as recomendações do ECDC e OMS, não perdendo de vista que os testes em larga escala, integrados com as outras medidas de saúde pública, para limitar a propagação da Covid-19”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+