Tempo
|
A+ / A-

Pandemia

Covid-19. PALOP e Timor-Leste vão receber 5% das vacinas extra compradas por Portugal

23 fev, 2021 - 20:22 • Lusa

Anúncio foi feito pelo primeiro-ministro numa intervenção durante um evento promovido pela Global Citizens, que está a lançar uma campanha para a mobilização de mais fundos para a luta global contra a Covid-19. António Costa insiste na tese de que "nenhum país do mundo estará seguro até que todos estejam seguros".

A+ / A-

Veja também:


O primeiro-ministro afirma que África será prioritária na disponibilização de doses adicionais de vacinas contra a covid-19 e que Portugal procurará "redirecionar" para Timor-Leste e países africanos de expressão portuguesa (PALOP) 5% das vacinas adquiridas.

Estas posições foram assumidas por António Costa numa intervenção pré-gravada para um evento promovido pela Global Citizens, uma organização não governamental (ONG) que está a lançar uma campanha para a mobilização de mais fundos para a luta global contra a covid-19 - uma iniciativa que conta com o apoio da Comissão Europeia.

No seu breve discurso, o líder do executivo português considerou que "o apoio à vacinação internacional é essencial para a erradicação da pandemia de covid-19" e defendeu a tese de que "nenhum país do mundo estará seguro até que todos estejam seguros".

"Para além de financiar a Iniciativa Covax, que tem como objetivo fornecer vacinas a 20% da população de 92 países, no âmbito da União Europeia estamos a trabalhar num mecanismo de partilha de vacinas que poderá disponibilizar doses adicionais de vacinas, sendo África naturalmente uma prioridade", apontou o primeiro-ministro de Portugal, país que preside até junho ao Conselho da União Europeia.

De acordo com o líder do executivo português, desde o início da pandemia já foram investidos "mais de 3,5 milhões de euros em meios de prevenção e combate, enviando material médico, de proteção, diagnóstico e terapêutica para os principais países parceiros da cooperação - os países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP) e Timor-Leste".

"Continuaremos empenhados neste caminho, e envidaremos esforços no sentido de redirecionar para os nossos tradicionais parceiros de cooperação 5% das vacinas adquiridas por Portugal, dando seguimento às ações de formação e capacitação local. Neste caso, dependemos mesmo uns dos outros e, por isso, temos mesmo de contar uns com os outros", acrescentou António Costa.

Na segunda-feira, a Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou que Cabo Verde será um dos primeiros países africanos a receber vacinas contra a Covid-19 através da plataforma internacional Covax, que visa para a imunização de 35% da população.

A Covax é uma iniciativa conjunta da OMS e da Aliança para o Acesso às Vacinas (GAVI) para fornecer vacinas contra a covid-19 a países de médio e baixo rendimento.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), sediado em Adis Abeba, Etiópia, o continente africano registou até agora 3.830.631 casos de infeção pelo novo coronavírus, incluindo 101.350 mortos

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+