Tempo
|
A+ / A-

Presidenciais. “Quem se amedronta com o candidato do fascismo faz-lhe um imenso favor”

16 jan, 2021 - 21:40 • Lusa

José Manuel Pureza, deputado do Bloco de Esquerda, afirma que Marisa Matias "visivelmente amedronta o candidato do fascismo", referindo-se a André Ventura.

A+ / A-

O deputado do Bloco de Esquerda José Manuel Pureza defende que "quem se amedronta com o candidato do fascismo faz-lhe um imenso favor", criticando ainda "quem deserta desta campanha para escancaradamente apoiar Marcelo Rebelo de Sousa".

Amigo de "uma data de vidas" da candidata presidencial apoiada pelo BE, José Manuel Pureza juntou-se ao comício virtual, transmitido desde Viseu, e terminou de uma forma pouco usual o seu discurso: a passar bâton vermelho nos lábios e assumindo a "frontalidade contra o medo".

Os insultos do presidente do Chega, André Ventura, que disse que Marisa Matias "pinta os lábios como se fosse uma coisa de brincar", geraram uma onda de solidariedade - a que se juntou até a sua opositora Ana Gomes - e que hoje esteve também presente na intervenção do escritor José Luís Peixoto, que explicou que não pintou os lábios porque não encontrou nenhum bâton.

"A Marisa é a candidata contra o medo. Contra os medos da intimidação boçal e rasca. Essa boçalidade e rasquice são farronca que esconde o medo quase infantil que o candidato do fascismo tem das mulheres, da sua liberdade e da sua autonomia", criticou Pureza.

Para o bloquista, "quem se amedronta com o candidato do fascismo faz-lhe um imenso favor" e "visivelmente a Marisa amedronta o candidato do fascismo".

"O que é mais importante nesta disputa eleitoral é a força que vai ter quem não tem medo de enfrentar os medos impostos pelos de sempre. Em Marcelo Rebelo de Sousa o medo de enfrentar a banca, o patronato, os grupos privados na saúde, tem um porta-voz político esmeradíssimo", acusou Pureza.

No entanto, o bloquista atirou a "quem deserta desta campanha para escancaradamente apoiar Marcelo Rebelo de Sousa", numa crítica implícita ao PS.

"O país não conta com Marcelo Rebelo de Sousa para nenhum das mudanças de fundo no trabalho, na saúde ou na regulação do sistema financeiro de que precisamos para sermos um país justo", avisou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    16 jan, 2021 Lisboa 22:48
    Quando não há programa nem substrato, transforma-se um grão de areia numa montanha e enchem-se chouriços, passando o tempo a falar de batons... Quem viu a Marisa Matias e quem a vê agora ...

Destaques V+