Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Farmácias de Inglaterra começam a vacinar grupos prioritários

14 jan, 2021 - 08:00 • Marta Grosso

As vacinas da Oxford/AstraZeneca e da Pfizer/BioNTech têm sido administradas em hospitais, casas de saúde, clínicas e centros de vacinação. O Reino Unido já vacinou mais de 2,6 milhões de pessoas.

A+ / A-

Veja também:


Algumas farmácias de High Street, em Inglaterra, começam, nesta quinta-feira, a vacinar pessoas de grupos prioritários. A notícia é avançada pela BBC.

Para já, são seis as escolhidas para administrar as vacinas da Oxford/AstraZeneca ou da Pfizer/BioNTech às pessoas que receberam uma carta-convite em casa.

Estas farmácias foram escolhidas pela sua dimensão, sendo capazes de dar a vacina a um elevado número de pessoas num espaço amplo, que permite o distanciamento social.

Mas os farmacêuticos dizem que outras farmácias também deveriam ter permissão para administrar a vacina e não apenas as maiores.

Atualmente, há cerca de um milhar de locais onde os britânicos podem ser vacinados, incluindo 200 hospitais, 800 serviços de saúde entregues a privados e sete centros de vacinação em massa.

Mais de 2,6 milhões de britânicos já receberam primeira dose da vacina.

A extensão às farmácias ocorre numa altura em que o Reino Unido bate recordes no número de mortes diárias.

Mais de 70 farmácias vão começar a aceitar agendamentos para vacinação na próxima semana, pretendendo-se chegar às 200 na próxima quinzena, em Inglaterra.

Para já, as farmácias têm capacidade para administrar mil vacinas por semana e espaço suficiente para armazenar, no frio, todas as doses. Podem estar abertas todos os dias da semana.

Na noite de quarta-feira, o governo escocês também publicou o plano detalhado de vacinação.

Desde o início da pandemia, o Reino Unido já registou 3.211.576 casos de infeção pelo novo coronavírus.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+