Tempo
|
A+ / A-

Confinamento

Roupa, artigos desportivos e livros. Governo limita vendas nos hipermercados

14 jan, 2021 - 18:44 • Cristina Nascimento

Ministro da Economia revelou que despacho que limita vendas nos super e hipermercados será publicado na sexta-feira e limitações devem começar na próxima semana.

A+ / A-

Veja também:


O Governo vai proibir a venda de roupa, artigos desportivos, livros e artigos de decoração, entre outros produtos, nos super e hipermercados. A revelação foi feita pelo ministro da Economia, Pedro Siza Vieira.

A medida estava prevista no decreto que prevê os novos termos do estado de emergência, onde se lê que “o membro do Governo responsável pela área da economia pode, mediante despacho, determinar que os estabelecimentos de comércio a retalho que comercializem mais do que um tipo de bem e cuja actividade seja permitida no âmbito do presente decreto não possam comercializar bens tipicamente comercializados nos estabelecimentos de comércio a retalho encerrados ou com a actividade suspensa nos termos do presente decreto”.

Pedro Siza Vieira revelou que o despacho detalhado sobre o que pode e não pode ser vendido nestes espaços será conhecido na sexta-feira e as limitações devem entrar em vigor na próxima semana.

O ministro adiantou que os produtos que vão constar desta lista são "aqueles que são comercializados nos estabelecimentos que se ordenou o seu encerramento" e justificou esta medida por se ter verificado, durante o primeiro confinamento, "algum desvio de procura" por parte dos clientes.

Siza Vieira lembrou ainda que os estabelecimentos que foram encerrados podem continuar a vender se essas vendas forem feitas online, ao postigo ou em modo "click and colect" (compra através da internet e recolha na loja). O governante esclareceu ainda que as empresas, ainda que optem por estes modos de venda, podem continuar a recorrer ao lay-off simplificado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.