Tempo
|
A+ / A-

Confinamento deve estender-se às "crianças mais pequenas", defende infecciologista

13 jan, 2021 - 16:12 • Liliana Monteiro

As crianças além de mais frágeis à gripe sazonal são um grande veículo de transmissão, sublinha Francisco Antunes, especialista em doenças infecciosas da Faculdade de Medicina de Lisboa.

A+ / A-

Veja também:


O confinamento devia estender-se às crianças, defende Francisco Antunes, da Faculdade de Medicina de Lisboa. O especialista em doenças infecciosas lembra que além da Covid-19 está em curso um período gripal que nos menores pode ter efeitos graves.

“As crianças em relação à gripe têm um comportamento diferente em relação à Covid-19. Particularmente em determinados grupos, elas são os principais reservatórios e transmissores da infeção. Nas crianças, contrariamente ao que acontece na Covid-19, a situação pode ser grave. O número de casos sintomáticos e a mortalidade nas crianças não tem nada a ver com aquilo que acontece na Covid-19, em que a maior parte são assintomáticas e a mortalidade é muito reduzida”, alerta Francisco Antunes.

As crianças além de mais frágeis à gripe são um grande veículo de transmissão, sublinha o especialista em doenças infecciosas.

“Por isso é que eu continuo a insistir que este confinamento, numa altura do ano em que circulam os dois vírus, deveria ser também alargado às crianças mais pequenas”, defende.

A menor vacinação das pessoas de risco levanta maior preocupação, até porque há ensaios clínicos que mostram que a vacina da gripe tem influência na Covid-19, diz Francisco Antunes.

Com o tempo frio que se faz sentir e a circulação do vírus da gripe em curso, Francisco Antunes relembra a necessidade de uma maior cobertura de população vacinada contra a gripe sazonal, que muitas vezes também mata e exige cuidados intensivos.

Este especialista fala ainda numa redução da atividade gripal muito por causa do uso de máscara e desinfeção das mãos.

Estes temas vão estar em discussão esta quarta-feira na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa que promove um “webinar” sobre "gripe e covid-19, a tempestade perfeita?".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Alessandra Ferreira
    13 jan, 2021 Porto 16:41
    Concordo plenamente . Sei e entendo que muitos não podem, ou acham melhor ter os filhos na escola, mas neste momento, creio que seria viável que pelo menos dessem aos pais que pensam de forma diferente, e que podem os ter em casa, essa liberdade de escolha. Num tempo de tantas restrições, as quais parecem ser mesmo necessárias, e estas nem sequer coloco em questão, mas essa decisão deveria ser direcionada aos pais.

Destaques V+