Tempo
|
A+ / A-

Balanço DGS. Portugal ultrapassa os 400 mil infetados com a Covid-19

29 dez, 2020 - 14:03 • João Carlos Malta

No relatório desta terça-feira, há menos internados e menos doentes em Unidades de Cuidados Intensivos. Há menos 2.850 pessoas infetadas com Covid-19 em Portugal.

A+ / A-

Portugal conta, nesta terça-feira, com mais 3.336 de Covid-19 e 74 mortes com a doença provocada pelo novo coronavírus. O país passou os 400 mil casos de infecção pelo novo coronavírus.

Segundo os dados do boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), diminuiu o número de doentes internados: são menos 37, subindo o total para 2.930.

Há, também, menos 17 pessoas em unidades de cuidados intensivos, onde permanecem 486 em todo o país.

O dia de hoje é marcado também por uma redução de 2.850 no número de casos ativos (um total de 65457), e há mais 6.112 recuperados, que são agora 327.794 desde março.

A região Norte volta a liderar o número de novas infeções: mais 1.494, atingindo um total de 204.986 desde a chegada da pandemia a Portugal. Pertencem a esta região 45% dos novos casos detetados desde sábado.

Quanto ao número de óbitos, são mais 24, num total de 3.126.

A Lisboa e Vale do Tejo (LVT) cabem 30% dos novos casos. Foram mais 995 infeções nas últimas 24 horas e mais 33 mortes. Desde março, esta região conta 128.841 casos e 2.352 óbitos.


NÚMERO DE CASOS DÍARIOS DE COVID-19 EM PORTUGAL

A terceira região com mais casos e vítimas mortais é o Centro, com 968 mortes e 45.243 infeções desde março. Nesta terça-feira, contribui com 19% dos novos casos.

Seguem-se o Alentejo, com um total de 202 mortes e 10.398 casos, e o Algarve com 7.259 casos e 69 óbitos em cerca de dez meses.

Nas ilhas, os Açores contam um total de 1.749 casos e 27 mortos (sendo que nesta terça-feira houve uma morte associada à pandemia) e a Madeira 1.526 casos e 12 óbitos (esta terça-feira não houve óbitos associados à Covid-19).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+