Tempo
|
A+ / A-

Ministério Público

Abate de 540 animais. Torre Bela apresenta queixa-crime contra organizadores da caçada

28 dez, 2020 - 19:53 • Redação

Herdade onde animais foram abatidos diz ser a "única entidade fortemente lesada" pela montaria "ilegítima e abusiva". Ministério Público já abriu inquérito.

A+ / A-

A Herdade da Torre Bela anunciou esta segunda-feira que apresentou uma queixa-crime no Ministério Público contra a empresa espanhola que organizou a montaria na qual 540 animais foram abatidos, bem como contra desconhecidos.

Em comunicado, a Herdade adianta que, "tendo por base as provas recolhidas, apresentou uma queixa-crime junto do Ministério Público contra a entidade promotora da caçada (a empresa Monteros de la Cabra e o seu responsável Mariano Morales) e contra desconhecidos, através do seu advogado Dr. Alexandre Mota Pinto, do escritório Uría Menéndez Proença de Carvalho".

Na mesma nota enviada às redações, a Herdade da Torre Bela diz ter sido "a única entidade fortemente lesada, no seu património e reputação", pela "montaria ilegítima e abusiva na sua propriedade", ocorrida a 17 de dezembro.

Esta segunda-feira, o Ministério Público anunciou a abertura de um inquérito ao que aconteceu na quinta da Azambuja.

"É hoje absolutamente evidente que esta caçada ocorreu em inequívoca violação dos direitos de caça adquiridos e ultrapassando os limites acordados por contrato com a entidade exploradora da caçada, limites fixados pela Zona de Caça Turística em conformidade como permitido pela licença e pelo plano de gestão por si aprovado e que se encontrava à data, em vigor", defende a Herdade.

Os proprietários dizem ainda que têm colaborado "de forma estreita e permanente com todas as autoridades".

Para além da queixa-crime, é adiantado, a Torre Bela apresentou "junto do Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), na semana passada, um conjunto de informações entretanto obtidas que permite melhor avaliar os factos que estiveram na origem das referidas violações e da forma irregular com que decorreu a montaria".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    29 dez, 2020 Funchal 14:33
    Não dá nada.
  • João Lopes
    29 dez, 2020 Viseu 10:37
    A imagem sobre os animais abatidos é aterradora. Mas muitíssimo mais aterradora é a carnificina diária com o aborto e a eutanásia! E ninguém fala, ninguém chora: seres humanos indefesos e abatidos como se animais fossem!
  • ze
    29 dez, 2020 aldeia 00:37
    "AGORA" todos querem fugir a responsabilidades,esperamos todos os que se indignaram com esta situação que o Estado Português através do Ministério Público aja com coragem e puna severamente todos os responsáveis.

Destaques V+