Tempo
|
A+ / A-

Ecumenismo

Vaticano publica compêndio para promover a unidade dos cristãos

04 dez, 2020 - 18:22 • Aura Miguel

A Santa Sé convida os bispos a estarem “sempre prontos a dar o primeiro passo” no diálogo com cristãos de outras confissões.

A+ / A-

O Vaticano criou um compêndio que enviou para os bispos de todo o mundo com o objetivo de contribuir para a promoção do ecumenismo.

Com título “O bispo e a unidade dos cristãos: Vademecum ecuménico”, o documento contém indicações práticas de apoio à missão dos bispos na promoção da unidade dos cristãos.

Publicado pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, o texto dirige-se, sobretudo, aos pastores católicos e está dividido em duas partes, uma dedicada à promoção do ecumenismo e outra às relações entre os cristãos das diversas “famílias”.

Na primeira parte a busca da unidade é indicada como "um desafio para os católicos" e o bispo apontado como "um homem de diálogo que promove o compromisso ecuménico", com várias iniciativas, modalidades de formação e "indicações práticas", tais como "assegurar que em todos os seminários e em todas as faculdades de Teologia haja um curso obrigatório de ecumenismo", ou que a documentação e o material sobre este assunto sejam divulgados "através do site diocesano".

A segunda parte do documento define o movimento ecuménico como "único e indivisível", embora com "formas diferentes de acordo com as várias dimensões da vida eclesial”, como por exemplo o "ecumenismo espiritual", a “necessidade de rezar com outros cristãos" e de partilhar momentos, festas e tempos litúrgicos, ou ainda o "diálogo da caridade" e a disponibilidade para uma cultura do encontro na qual os católicos "não devem esperar apenas que outros cristãos se aproximem deles", mas a estarem "sempre prontos a dar o primeiro passo".

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.