Tempo
|
A+ / A-

OE 2021

Reviravolta na reviravolta no Parlamento. Novo Banco não recebe mais quase 500 milhões de euros

26 nov, 2020 - 12:35 • Cristina Nascimento , Susana Madureira Martins

Proposta do Bloco de Esquerda para inviabilizar esta transferência tinha sido aprovada na quarta-feira à noite, durante o debate na especialidade do Orçamento do Estado para 2021.

A+ / A-
Aprovada, rejeitada e outra vez aprovada. A atribulada votação sobre verbas para o Novo Banco
Aprovada, rejeitada e outra vez aprovada. A atribulada votação sobre verbas para o Novo Banco

O Parlamento manteve esta quinta-feira a aprovação da proposta do Bloco de Esquerda que inviabiliza a transferência de cerca de 476 milhões de euros para o Novo Banco, numa votação atribulada e marcada por reviravoltas, com os deputados do PSD/Madeira no epicentro da polémica. O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, chegou a falar em "trapalhada".

A proposta do BE tinha sido aprovada na quarta-feira à noite, mas o assunto foi outra vez chamado a plenário esta quinta-feira.

Os trabalhos chegaram a ser interrompidos duas vezes, depois de uma acesa discussão, com várias negociações em marcha para tentar reunir votos que permitisse mudar o sentido de voto global da Assembleia da República.


Os deputados do PSD/Madeira chegaram a mudar o sentido de voto e, num primeiro momento, parecia ter sido travada a proposta do BE. No entanto, passado alguns instantes, os três deputados eleitos pela Região Autónoma mudaram de opinião e alinharam, novamente, pela disciplina de voto da bancada social-democrata.

Perante a confusão instalada, o deputado do PSD Duarte Pacheco pediu para que fosse repetida a votação, tendo ficado claro, então, que a proposta do Bloco de Esquerda reunia os votos necessários para ser aprovada.

O PSD votou, então, a favor, ao lado do Bloco de Esquerda, PCP, Verdes, Chega e deputada não inscrita Joacine Katar Moreira.

Contra a suspensão da transferência da verba para o Novo Banco votaram PS, Iniciativa Liberal e a deputada não inscrita Cristina Rodrigues. CDS e PAN abstiveram-se.

[notícia atualizada - com a mudança do sentido de voto dos deputados do PSD/Madeira]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José Gaspar
    26 nov, 2020 Leiria 15:19
    o que aprovaram agora devia ter sido feito já em 2011 e anos seguintes, mas como o populismo é que neste País está a dar até quem antes deu dinheiro aos bancos agora "esqueceu-se e passou para o outro lado, assim se vê a seriedade e honestidade desta classe politica.