Tempo
|
A+ / A-

Açores. Afinal o CDS também ratificou o acordo entre PSD e Chega

14 nov, 2020 - 10:30 • Redação

Acordo de de incidência parlamentar tem as assinaturas de José Manuel Bolieiro (presidente dos sociais-democratas na região), Artur Lima (CDS/Açores), Paulo Estêvão (PPM/Açores) e Carlos Furtado (Chega/Açores). Líder do CDS tinha dito que o CDS celebrou um acordo para a formação de Governo apenas com o PSD e com o PPM.

A+ / A-

Afinal, o acordo de incidência parlamentar que envolve o Chega não foi assinado apenas pelo PSD, escreve este sábado o Expresso. Ao contrário do que afirmou o líder do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, na quinta-feira, também os democratas-cristãos rubricaram o acordo que dá viabilidade ao novo Governo Regional dos Açores.

O semanário acrescenta que o Conselho Regional do PSD (o parlamento do partido no arquipélago) ratificou esta sexta-feira à noite o documento que tinha ficado fechado na semana passada, antes de os partidos serem ouvidos pelo representante da República, Pedro Catarino. E nele constam as assinaturas de José Manuel Bolieiro (presidente dos sociais-democratas na região), Artur Lima (CDS/Açores), Paulo Estêvão (PPM/Açores) e Carlos Furtado (Chega/Açores).

No final da semana, Francisco Rodrigues dos Santos foi categórico ao afastar qualquer tipo de acordo com o Chega.

“O CDS celebrou um acordo para a formação de Governo apenas com o PSD e com o PPM, isto que fique muito claro", garantiu o líder centrista há dois dias.

Na mesma altura, disse que "coube ao PSD conseguir viabilizar parlamentarmente o Governo de Aliança Democrática e, como vimos, isso aconteceu através de uma manobra escapatória que o Chega encontrou para identificar nos programas do PSD medidas com as quais concorda."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Diogo
    15 nov, 2020 Queluz 00:43
    Estes queques do Largo do Caldas se tivessem 2 palmos de testa NUNCA se alinhavam com o chega. Viabilizavam um governo ps, pan e il e deixavam o Ventura a anhar. Assim vão ser comidos de cebolada pelo chega.
  • Linda Silva
    14 nov, 2020 guarda 15:23
    A sério? O CDS deixou que o enforcassem e ainda oferece a corda e paga o jantar ao carrasco? Para a próxima elegem 1/4 de deputado e já gozam. Gente fina é outra coisa.
  • Luiz
    14 nov, 2020 GANDRA PTL 12:50
    Convém saber distinguir "Acordo de incidência parlamentar" de " Acordo para a formação de Governo"

Destaques V+