Tempo
|
A+ / A-

Covid-19: Área Metropolitana do Porto pede encerramento de escolas nas próximas semanas

28 out, 2020 - 18:24 • Sérgio Costa , com redação

Medida seria destinada aos alunos do secundário e do ensino superior, que passariam a ter exclusivamente aulas online. Autarcas também defendem “um recolher obrigatório" partir das 23h00.

A+ / A-

Veja também:


A Área Metropolitana do Porto (AMP) defende exclusividade de aulas online nas próximas três semanas para os alunos do secundário e do ensino superior, devido ao aumento do número de casos de Covid-19 na região Norte.

Em declarações à Renascença, o presidente da AMP, Eduardo Vitor Rodrigues, diz que a medida tem acolhimento junto dos autarcas e junto dos professores e diretores de escolas.

O autarca de Gaia diz que a região Norte está numa escala de casos de Covid-19, que é preciso conter rapidamente e, por isso, defende o regresso ao Estado de emergência de forma a que seja possível decretar o recolher obrigatório na região.

“Um recolher obrigatório, um confinamento parcial, sobretudo a partir das 23h00. Ele foi hoje mesmo decretado na Alemanha. Isso implica que em Portugal se avance para um Estado de emergência, ou no país todo ou em locais do país, e não região Norte em concreto.”


Eduardo Vítor Rodrigues não concorda com restrições à mobilidade entre concelhos.

O autarca afirma que uma medida desse tipo apenas cria problemas aos cidadãos no seu quotidiano.

“Faz sentido restringir circulação entre concelhos quando há um concelho ou alguns concelhos predominantes e depois há concelhos que estão relativamente contidos, à volta. No fundo tentar estancar, numa espécie de cerca sanitária total ou parcial, a situação.”

“Não é o que acontece neste momento. Ora Matosinhos estão à frente, ora é o Porto. A situação está relativamente generalizada. Pensar em estabelecer fronteiras entre municípios, numa área metropolitana em que há tantas pendularidades e interdependências, é uma medida que não tem interesse nenhum no combate à pandemia e cria muitos problemas aos cidadãos no dia a dia”, adverte o presidente da AMP, em declarações à Renascença.

A região Norte poderá atingir 7.000 novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2 na próxima semana, alertam especialistas, afirmando existirem “vários concelhos” num “patamar semelhante” aos três do Tâmega e Sousa onde foram impostas medidas mais restritas.

A Câmara de Matosinhos decretou esta quarta-feira o encerramento dos estabelecimentos de comércio a retalho e de prestação de serviços às 21h00, dos restaurantes às 22h00 e o reforço do policiamento a partir deste fim de semana.

O agravamento da pandemia de Covid-19 vai levar o Governo a tomar mais medidas e o primeiro-ministro já convocou os partidos para reuniões na sexta-feira, dia 30.

Trata-se de um procedimento semelhante ao que tomou quando foram decididas as medidas do estado de emergência. António Costa, ao que a Renascença sabe, também já convocou um Conselho de Ministros extraordinário para sábado.

Portugal regista esta quarta-feira um novo máximo diário de casos de covid-19, num total de 3.960, e 24 mortes, avança a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia foram diagnosticados 128.392 casos de Covid-19 e 2.395 óbitos.

Metade dos novos casos de Covid-19 foram registados na região Norte. Em 24 horas, foram mais 2.114 infeções e 11 mortes.

Covid-19 por regiões

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.