Tempo
|
A+ / A-

Inovação

IAPMEI apresenta ferramenta para acelerar a transição digital das empresas

28 out, 2020 - 00:35 • Lusa

Objetivo é dar às empresas a possibilidade de avaliarem a sua maturidade digital e implementarem medidas que lhes permitam aumentar a receita e a eficiência.

A+ / A-

A Agência para a Competitividade e Inovação (IAPMEI) apresentou, esta terça-feira, o projeto Shift2Future, com o objetivo de acelerar a transição digital das empresas.

A intenção é que a nova ferramenta dê a possibilidade às empresas de avaliarem a sua maturidade digital e implementarem medidas que lhes permitam aumentar a receita e a eficiência.

A iniciativa envolve empresas de vários setores e pretende "acelerar a transição das Pequenas e Médias Empresas (PME) para a economia 4.0 através de um conjunto de ações que visam capacitar os empresários com conhecimento e ferramentas úteis, que lhes permitam enfrentar e ultrapassar os novos desafios da digitalização", informou hoje o IAPMEi, em comunicado.

O organismo público sublinha que o Shift2Future surge na sequência do Shift to 4.0, uma ferramenta de autodiagnóstico que, "de uma forma simples e automática", capacita as empresas a avaliar em que fase se encontram e a obterem um relatório "com linhas orientadoras para melhorar o caminho a seguir rumo à Indústria 4.0".

Na mesma nota, o IAPMEI frisa que existe motivação das empresas para integrarem "o ecossistema digital", mas "no geral, verifica-se que a estratégia i4.0 ainda não se encontra implementada".

Por outro lado, embora a maioria dos empresários perceba os benefícios da digitalização, "o nível de investimento realizado neste âmbito revela-se ainda pouco significativo", acrescenta o organismo público.

O novo programa Shift2Future será desenvolvido numa parceria entre o IAPMEI, o Instituto de Soldadura e Qualidade, a Universidade de Aveiro, o Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro e a TecMinho.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+