Tempo
|
A+ / A-

Fórmula 1. Lotação do GP do Algarve reduzida e sem lugares de pé

20 out, 2020 - 18:47 • Redação com Lusa

Pandemia obriga a devolução na íntegra do valor do bilhete. Número de espetadores reduz para 27.500.

A+ / A-

Veja também:


O Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1 vai ter a lotação reduzida, devido às restrições impostas pelo Governo face à pandemia de covid-19. Será abolido o peão (lugares de pé) no recinto, confirmou esta terça-feira o Autódromo Internacional do Algarve (AIA).

“Como consequência dessas novas medidas, as autoridades sanitárias e administrativas determinaram também novas limitações e proibições relativamente à presença de público no Grande Prémio de Portugal, nomeadamente uma diminuição adicional do número total de espetadores permitidos, e também a proibição total de espetadores na zona de peão”, lê-se no comunicado do AIA.

No domingo, em declarações à agência Lusa, o administrador do AIA admitiu a redução do número de espetadores para 27.500, face aos 46 mil bilhetes inicialmente colocados à venda. Calculou que fossem suprimidos os lugares de peão.

“Perante este cenário, ao qual somos alheios, caso assim o deseje, faremos a devolução na íntegra do valor do bilhete e do custo dos portes. Em alternativa, trabalhámos em diversas soluções para que os possuidores de bilhetes de peão consigam, ainda assim, assistir à corrida, pelo que criámos um conjunto de possibilidades”, prossegue o AIA, salientando que os detentores destes ingressos já foram contactados.

O promotor do Grande Prémio de Portugal, 12.ª prova do Mundial de Fórmula 1, que vai ser disputado entre sexta-feira e domingo, em Portimão, remata o comunicado pedindo desculpa pelo transtorno causado e agradecendo o apoio recebido.

“Gostaríamos muito que o momento atual fosse outro, para que tudo pudesse decorrer de uma forma diferente, mas temos de nos adaptar às situações, conforme elas se nos deparam, e resolver as mesmas dentro das possibilidades ao nosso alcance”, conclui.

Portugal contabiliza pelo menos 2.213 mortos associados à covid-19 em 103.736 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da pandemia, o Algarve registou 2.266 casos de infeção e 22 mortes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.