Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. País de Gales anuncia confinamento total de duas semanas para diminuir propagação

19 out, 2020 - 16:00 • com Reuters

Com as unidades de cuidados intensivos cheias naquele país do Reino Unido, Cardiff opta por uma medida radical e anuncia um fundo de 330 milhões de euros para ajudar as empresas.

A+ / A-

Veja também:


O País de Gales anunciou esta segunda-feira que vai dar início a um período de confinamento total a partir do dia 23 de outubro e que durará duas semanas. O objetivo é tentar diminuir a propagação da Covid-19 numa altura em que as unidades de cuidados intensivos começam a dar sinais de estarem no limite das capacidades.

O primeiro-ministro do Pais de Gales, que tal como a Escócia e a Irlanda do Norte gozam de autonomia dentro do Reino Unido, diz que compreende o cansaço das pessoas com as restrições, mas que é preciso uma medida radical.

“Terá de ser acutilante e profundo para ter o efeito que pretendemos”, afirmou, em declarações aos jornalistas. “Toda a gente no País de Gales terá de ficar em casa. Se não agirmos já continuará a acelerar”, concluiu.

O confinamento obrigatório começa na sexta-feira, 23 de outubro, e dura duas semanas, até ao dia 9 de novembro. Abrange todos os cidadãos exceto os que são considerados indispensáveis. As escolas e as empresas estarão fechadas e todos os serviços religiosos serão suspensos.

O Governo regional anunciou, entretanto, um pacote de 330 milhões de euros para ajudar as empresas que saem prejudicadas com este confinamento.

Não é apenas o País de Gales que está a sentir a pressão do aumento de casos. Todo o Reino Unido está a assistir ao mesmo fenómeno e os diferentes governos regionais, e o governo central no caso de Inglaterra, estão a adotar medidas mais rigorosas para tentar travar os contágios.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.