Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Papa apela ao distanciamento e uso da máscara. “Desculpai-me se hoje vos saúdo de longe"

14 out, 2020 - 12:38 • Aura Miguel

"Se todos, como bons cidadãos, cumprirmos as indicações da autoridade, isso será uma ajuda para acabar com a pandemia”, referiu Francisco no final da audiência geral.

A+ / A-
Papa convida a cumprir medidas de combate à Covid-19. "É melhor manter as distâncias"
Papa convida a cumprir medidas de combate à Covid-19. "É melhor manter as distâncias"

No final da audiência geral desta quarta-feira, que decorreu na Aula Paulo VI, o Papa Francisco não saudou os fiéis, como faz habitualmente, por causa dos riscos de contágio, e deixou um apelo ao cumprimento das regras sanitários em tempo de pandemia de Covid-19.

“Gostaria de descer e aproximar-me para vos saudar mas, com as novas prescrições, é melhor manter as distâncias. Mesmo aos doentes, saúdo-vos desde aqui, com todo o coração”, disse Francisco antes da bênção final.

“Vocês estão a uma distância prudente, como se deve fazer. Mas acontece que, sempre que eu desço, juntam-se todos e amontoam-se: é um problema porque há perigo de contágio”, acrescentou. “Deste modo, se cada um, com a máscara, mantiver as distâncias, podemos continuar com as audiências.”

Francisco, que desde o início do seu pontificado dedica grande parte do tempo a saudar os fiéis e peregrinos que participam nas celebrações a que preside, concluiu desta vez com um desabafo: “Desculpai-me se hoje vos saúdo de longe, mas creio que se todos, como bons cidadãos, respeitarem as prescrições das autoridades, será uma ajuda para pôr fim a esta pandemia".

Na audiência geral desta quarta-feira, o Papa saudou as monjas trapistas de Vitorchiano, de partida para Palaçoulo, no concelho de Miranda do Douro.

É ali, no lugar do Alacão, que está a ser edificado o Mosteiro Trapista de Santa Maria Mãe da Igreja, para 40 Monjas, e que será orientado para a contemplação e culto divino e segundo a regra de São Bento.

“Saúdo as monjas trapistas de Vitorchiano, de partida para Portugal. Corajosas, vão fundar um mosteiro em Portugal”, disse Francisco, no final da audiência pública semanal que decorreu no Auditório Paulo VI.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.