Tempo
|
A+ / A-

Rui Barreiro

Agressões na assembleia-geral do Sporting. "É preciso condenar veementemente a violência gratuita"

28 set, 2020 - 12:45 • José Barata com redação

Rui Barreiro, antigo conselheiro do Sporting, comentou a realização da assembleia-geral e faz um balanço positivo dos dois primeiros jogos da equipa principal de futebol.

A+ / A-

Rui Barreiro, antigo conselheiro do Sporting, "condena veementemente" as agressões que um sócio do Sporting foi alvo após a assembleia-geral do clube, no sábado. Em declarações a Bola Branca, Rui Barreiro elogia a organização da AG, em moldes condicionados pela Covid-19, mas critica a "violência gratuita".

"Foi uma AG bem organizada, com um conjunto significativo de funcionários a trabalhar, as urnas tinham acesso bem desenhado face à pandemia. Quando fui votar, as coisas correram bem. Se por um lado destacamos essa aspeto organizativo muito bom, temos de condenar veementemente a violência gratuita que aconteceu e alguns regozijos nas redes sociais e também algumas ameaças", disse.

Os 3.115 associados que participaram na reunião magna dos leões chumbaram por larga maioria os dois pontos em votação, obrigando a direção de Frederico Varandas a trabalhar novos documentos para apresentar a votos.

Durante a votação ocorreram alguns episódios de violência com trocas de acusações entre apoiantes e contestatários de Frederico Varandas.

Quanto ao chumbo das contas do Sporting, Rui Barreiro considera que estas deveriam ter sido aprovadas, apesar de reconhecer que há coisas que precisam de ser melhoradas, não é uma boa forma de contestar Frederico Varandas.

"A contestação não é nada de novo. Tem sido prato forte deste mandato de Frederico Varandas. Há aspetos que devem ser melhorados, mas não me parece que as contas do clube tivessem de ter este tipo de reação e servirem de mote para a contestação, que se deve fazer noutros moldes", considera.

As contas do clube em nada interferem com o futebol que é gerido pela SAD, por isso Rui Barreiro avisa que a gestão das modalidades fica prejudicada: "Este chumbo do ponto de vista operacional cria dificuldades ao clube e à gestão das modalidades e dos funcionários, mas não tem esse efeito na SAD. O objetivo foi mobilizar quem consteta e criar ainda mais ruído".

A propósito de SAD, está agendada para as seis da tarde de terça-feira uma assembleia-geral, que decorrerá no Auditório Artur Agostinho.

Elixir para a paz são vitórias em campo

Ao nível desportivo, Rui Barreiro analisa o arranque de época dos leões. O antigo Conselheiro Leonino dá nota positiva à equipa de Rúben Amorim, e lamenta que os árbitros estejam já a castigar disciplinarmente os jogadores do Sporting.

"Apesar do ruído externo e do Covid-19 que afetou, vi a entrada na Liga Europa e no campeonato com muitos aspetos positivos. É uma equipa jovem em que se vê o trabalho do treinador. O Paços de Ferreira não teve grandes oportunidades, a única coisa estranha foi a facilidade como o árbitro mostrou cartões amarelos. Pareceu-me excessiva a facilidade como se mostram cartões, alguns sem necessidade", afirma.

O Sporting joga quinta-feira o "play-off" de acesso à fase de grupos da Liga Europa, tendo como adversário o LASK Linz, da Áustria. Rui Barreiro está confiante num bom resultado para a equipa de Alvalade.

"É importante para o Sporting e para o futebol português a passagem à fase de grupos. O LASK é uma equipa difícil e vi os dois jogos da época passada. Em Alvalade, ganhámos, com a sorte do jogo, mas o mesmo não aconteceu em Linz. Espero que neste jogo só a uma mão, o Sporting mostre a sua superioridade e siga para a fase de grupos. O melhor elixir para ajudar à gestão são as vitórias no futebol. Espero que essa vitória ajude o Sporting a ter alguma paz e estabilidade", termina.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.