Tempo
|
A+ / A-

Grécia

Menos de 24 horas depois, novo incêndio deflagra no campo de refugiados de Moria

09 set, 2020 - 20:23 • Lusa

Na noite de terça para quarta-feira, um primeiro grande incêndio devastou o acampamento que abriga perto de 13 mil pessoas, incluindo 4 mil crianças.

A+ / A-
“Está tudo em chamas”. Milhares de desalojados no campo de refugiados de Lesbos
“Está tudo em chamas”. Milhares de desalojados no campo de refugiados de Lesbos

Um novo incêndio deflagrou ao final da tarde desta quarta-feira no campo de migrantes de Moria, o maior da Grécia, localizado na ilha de Lesbos, menos de 24 horas depois do grande incêndio que devastou grande parte do acampamento.

De acordo com os relatos da imprensa local, as famílias que permaneceram porque as suas barracas ou tendas não tinham ficado destruídas saíram a correr para escapar das chamas, muitas com bebés nos braços.

Na noite de terça para quarta-feira, um grande incêndio devastou o acampamento que abriga perto de 13 mil pessoas, incluindo 4 mil crianças.

O Governo grego decidiu declarar o estado de emergência na ilha de Lesbos, com 85.000 habitantes. Entretanto, o ministro grego das Migrações responsabilizou os requerentes de asilo que vivem em Moria pelo incêndio desta madrugada.

O fogo foi detetado depois de ter sido anunciado que 35 pessoas do campo tinham obtido resultado positivo no teste para deteção da infeção da covid-19 e que iriam ser transferidas para uma área especial de isolamento.

As autoridades decidiram ainda proibir todas as pessoas que viviam em Moria de deixar a ilha para evitar uma possível disseminação do coronavírus que provoca a covid-19, avançou o porta-voz do Governo, Stelios Petsas.

Ainda hoje, a Amnistia Internacional exigiu uma ação europeia imediata face à "emergência humanitária" no campo de refugiados, atribuindo às "políticas imprudentes" da União Europeia o desencadear da atual situação.

Moria é o maior campo de refugiados da Europa e aquele que tem piores condições, já que alberga cerca de quatro vezes mais pessoas do que a sua capacidade.

Até agora não há informação de vítimas, numa altura em que os bombeiros continuam sem conseguir aceder a todas as tendas e contentores de alojamento.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.