Tempo
|
A+ / A-

Pandemia de Covid-19

"Não é bom para ninguém." Marcelo critica regras pouco claras para Festa do Avante

30 ago, 2020 - 17:15 • Joana Gonçalves

Presidente da República critica "indefinição de regras" por parte da Direção-Geral da Saúde, quando falta pouco para o arranque da festa comunista na quinta da Atalaia.

A+ / A-

Veja também:


Marcelo Rebelo de Sousa criticou, este domingo, a falta de clareza das medidas da Direção-Geral de Saúde para a organização da Festa do Avante.

"Não é bom para quem organiza, esta indefinição de regras, e não é bom em geral para a credibilidade que é fundamental, neste momento", disse o Presidente da República, durante uma visita a Monchique.

"Estamos no meio de uma pandemia, que tem tido altos e baixos. Ultimamente, os valores têm subido. Mais do que noutras ocasiões, impunha-se que se soubesse com antecedência as regras do jogo. Neste momento não se sabe", acrescentou o chefe de Estado.

A cinco dias da realização do evento, não é ainda conhecida a versão final das regras para o festival anual do Partido Comunista Português (PCP). "Isso preocupa-me e penso que não é um bom augúrio a esta distância", defendeu.

Questionado pelos jornalista sobre a posição que defendia face a um possível cancelamento do festival, Marcelo Rebelo de Sousa respondeu que se “limitou a lamentar o facto de estarmos a cinco dias e não conhecermos as regras”.

Na conferência de imprensa da última quarta-feira, Graça Freitas adiantou que que já estavam acertadas uma série de orientações para a realização do festival e que, havendo acordo entre as partes, seriam divulgadas.

Contactada pela Renascença, a organização da Festa do Avante primeiro respondeu que não estava prevista a divulgação de qualquer relatório. Mais tarde, o PCP enviou um comunicado às redações em que defende que “cabe à DGS dar a conhecer os relatórios, pareceres ou outras reflexões que tenha produzido, esteja a produzir ou venha a produzir”.

“O PCP não reclamando tratamentos de excepção, mas rejeitando veementemente quaisquer atitudes e decisões discricionárias e arbitrárias, prosseguirá a preparação da Festa do Avante garantindo as medidas de protecção e prevenção sanitária que permitam a todos os visitantes usufruí-la em condições de segurança”, lê-se no mesmo comunicado.

Já na quinta-feira, durante a conferência de imprensa após o Conselho de Ministros, Mariana Vieira da Silva foi, também, questionada a propósito da divulgação do documento da Direção-Geral da Saúde com as orientações para a Festa do Avante.

Também a ministra de Estado e da Presidência remeteu todas as responsabilidade para a DGS.

Enquanto não são conhecidas as normas de segurança, mais de 40 comerciantes da zona envolvente à Quinta da Atalaia, na freguesia de Amora, Seixal, optaram por anunciar o encerramento dos seus estabelecimentos durante a Festa do Avante!, por “precaução” e para “mitigar o risco” de contágio pelo novo coronavírus.

"Há que relativizar" os números da pandemia no Algarve

O Presidente da República acredita que o aumento de novos casos na região algarvia não justifica "uma inversão da última decisão do Reino Unido".

Para Marcelo Rebelo de Sousa o número de infeções no Algarve é "residual, em termos nacionais."

A imprensa britânica anunciou, no sábado, uma possível saída de Portugal do corredor aéreo do Reino Unido.

"Infelizmente, Portugal está a voltar rapidamente para a zona vermelha. O Governo português está a preparar o estado de contingência a partir de 15 de setembro. Muito provavelmente será adicionado à quarentena do Reino Unido a 5 de setembro. A Grécia agora está âmbar. Itália tem os casos a aumentar mas ainda continua no verde", escreveu no twitter o antigo jornalista da BBC e atual líder de empresa de consultadoria de turismo, Paul Charles.

[Em atualização]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Raul Silva
    30 ago, 2020 Lisboa 20:31
    Mas não foi este mesmo Presidente que sobre o 1º de maio disse: " Confesso que quando pensei na regra pensei numa cerimónia mais simbólica, mais restritiva, menos ampla, do tipo da cerimónia do 25 de abril".?
  • 30 ago, 2020 18:29
    Em cima, leio " não é bom e não é bom para a CREDIBILIDADE que é fundamental ". Credibilidade FUNDAMENTAL da parte de quem? Muito embora não tenha batido palmas a interpelação por parte da Senhora na feira do livro na cidade Invicta, parece ter feito EFEITO, não? Quer queira(m) quer não, quem MANDA no País é o Presidente da República. Jorge Sampaio também MANDOU, pelo menos um DIA.
  • Antonio Ferreira
    30 ago, 2020 Penafiel 18:07
    Esta festa sempre foi uma palhaçada e nunca irá deixar de o ser....

Destaques V+