Tempo
|
A+ / A-

DGS estuda uso obrigatório de máscaras na rua e em crianças a partir dos seis anos

28 ago, 2020 - 14:22 • Redação

Direção-Geral da Saúde também está a preparar um documento informativo sobre a eficácia dos vários tipos de máscaras.

A+ / A-

Veja também:


A Direção-Geral da Saúde (DGS) vai estudar o uso obrigatório de máscaras na rua e em crianças a partir dos seis anos, avançou esta sexta-feira Graça Freitas.

Na conferência de balanço da pandemia de Covid-19, a diretora-geral da Saúde disse que a DGS está "neste momento a revisitar as máscaras em três aspetos importantes".

Um desses aspetos tem a ver com a utilização obrigatória de máscara em locais públicos. Graça Freitas afirma que é preciso "fazer destrinça entre espaços públicos que são frequentados por várias pessoas em simultâneo que podem ter tratamento de espaço público aberto e pouco frequentado".

"Temos de ter a noção do risco. Sempre dissemos que íamos implementar medidas de segurança proporcionais ao risco. Ir para uma rua movimentada de uma cidade é diferente do que passear o cão às 22h00 numa zona não movimentada. Teremos que ter esse bom senso e sentido de proporcionalidade", sublinhou.

Graça Freitas adiantou que a Organização Mundial de Saúde emitiu uma nova orientação que diz respeito ao uso de máscaras para crianças a partir dos seis anos de idade.

"Esse é um fator que estamos a estudar, a DGS com os seus colaboradores, sobretudo na área da pediatria, mas também na área do programa de prevenção e controlo da infeção", explicou a responsável.

O terceiro aspeto que está a ser revisitado pela Direção-Geral da Saúde está relacionado com a eficácia das máscaras.

"Começam a existir estudos sobre a eficácia de determinado tipo de máscaras e mesmo que não saia em orientação poderá sair uma informação que permita às pessoas utilizar as máscaras que têm à disposição de forma informada e depois poderem optar por utilizar um tipo ou outro", adiantou Graça Freitas.

Portugal registou mais seis mortes e 401 novos casos de infeção por Covid-19 nas últimas 24 horas, indica o boletim epidemiológico revelado esta sexta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). É o maior aumento de novas infeções desde 10 de julhohttps://rr.sapo.pt/2020/08/28/pais/covid-19-mais-401-casos-e-seis-mortes-em-portugal/noticia/205095/ e o quarto dia consecutivo com subida de casos.

O número total de óbitos aumenta, assim, para 1.815 e o de infeções para 57.074 desde a chegada do novo coronavírus ao país, no início de março.

EVOLUÇÃO DA COVID-19 EM PORTUGAL

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    28 ago, 2020 Funchal 18:10
    Nada disso só em locais onde não seja possível o distanciamento social.