|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Coronavírus

Governo garante que julho foi o mês com mais testes à Covid-19

05 ago, 2020 - 16:39 • Lusa

Secretária de Estado da Saúde destacou ainda um "aumento de testes feitos pelo Serviço Nacional de Saúde", que "é hoje cerca de 50% do total".

A+ / A-

Veja também:


O mês de julho registou o maior número de testes à Covid-19, totalizando 431.178 rastreios e uma média diária de 13.909, revelou esta quarta-feira a secretária de Estado da Saúde, Jamila Madeira.

"Julho foi o mês com maior número de testes. Um total de 431.178 testes. A média diária foi de 13.909, a mais alta taxa de testes já realizada", afirmou a governante, na conferência de imprensa da Direção-Geral de para balanço da situação epidemiológica no país.

A secretária de Estado destacou um "aumento de testes feitos pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS)", que "é hoje cerca de 50% do total".

Na conferência de imprensa, Jamila Madeira salientou ainda a "confiança no trabalho no terreno que é preciso continuar" e os "instrumentos de inovação" usados na "resposta portuguesa" à pandemia.

Em 10 de julho, a ministra da Saúde revelou que, desde março, o país realizou cerca de 1,3 milhões de testes à covid-19.

Marta Temido destacou, na ocasião, que Portugal era o "quinto país da União Europeia que mais testes realiza".

A ministra acrescentou que, em abril, foi feita uma média [diária] de 11.500 testes, que em maio a média foi de 13.000 testes e que em junho foi de 11.700 testes.

A 10 de julho, a média era de 13.700 testes diários.

Portugal regista esta quarta-feira mais um morto e 167 novos casos de infeção por covid-19 em relação a terça-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS).

De acordo com o relatório da situação epidemiológica da DGS, desde o início da pandemia até hoje registaram-se 51.848 casos de infeção confirmados e 1.740 mortes, a última das quais na região Norte.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.