Tempo
|
A+ / A-

Cápsula Dragon amarou. Terminou primeira viagem privada a colocar pessoas em órbita

02 ago, 2020 - 20:12 • Lusa

Dois astronautas norte-americanos passaram dois meses a cerca de 400 quilómetros da superfície terrestre.

A+ / A-

A cápsula Dragon, da SpaceX, amarou este domingo no Golfo do México com dois astronautas da agência espacial norte-americana NASA, concluindo o primeiro voo espacial privado a colocar pessoas em órbita.

A cápsula deverá agora ser recolhida por uma embarcação da SpaceX, empresa do milionário Elon Musk, com mais de 40 pessoas a bordo, incluindo médicos e enfermeiros, que cumpriram um período de isolamento de duas semanas e foram testados para o novo coronavírus antes do contacto com os astronautas.

Após a retirada da cápsula do oceano e de exames médicos aos astronautas, estes deverão voar até Houston, no estado norte-americano do Texas.

Lançada a partir do Cabo Canaveral em 30 de maio, a cápsula Dragon, apelidada pela tripulação como Endeavour -- em homenagem ao 'space shuttle' homónimo -, o veículo que colocou em órbita os astronautas Doug Hurley e Bob Behnken acoplou à Estação Espacial Internacional no dia seguinte.

Hurley e Behnken abandonaram o laboratório espacial na noite de sábado, após dois meses a cerca de 400 quilómetros da superfície terrestre.

O regresso desta cápsula da SpaceX representa a primeira vez que astronautas da NASA regressam à terra através de uma amaragem desde 24 de julho de 1975, quando a Apollo CSM-111 regressou, em 24 de julho de 1975, ao norte do Pacífico, colocando fim à missão espacial conjunta de EUA e União Soviética Apollo-Soyuz.

A SpaceX irá necessitar de seis semanas para realizar inspeções à cápsula antes de enviar uma nova tripulação. A próxima missão espacial, prevista para a primavera de 2021, deverá transportar quatro astronautas que passarão seis meses completos na Estação Espacial Internacional.

Após a retirada dos seus 'space shuttles', a NASA recorreu a privadas como a SpaceX e a Boeing para o envio dos seus astronautas para e da Estação Espacial Internacional.

Até ao lançamento de Hurley e Behnken para órbita, pela SpaceX, a NASA tinha recorrido a foguetões russos.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    03 ago, 2020 Funchal 18:57
    Esta amaragem, merecia melhores imagens por parte da nasa. Foi mau de mais, embora o mais importante foi o sucesso da missão.