Tempo
|
A+ / A-

Chega admite conversar com PSD se Rio deixar de ser “dama de honor” do PS

30 jul, 2020 - 15:12 • Lusa

Rui Rio admitiu conversações com o Chega com vista a entendimentos eleitorais se aquele partido evoluir "para uma posição mais moderada".

A+ / A-

O líder do Chega, André Ventura, respondeu esta quinta-feira ao presidente do PSD afirmando que só aceita conversações com os sociais-democratas se Rui Rio fizer oposição “à séria” e deixar de ser “a dama de honor do Governo socialista”.

O líder do PSD admitiu conversações com o Chega com vista a entendimentos eleitorais se aquele partido evoluir "para uma posição mais moderada", dizendo descartar essa possibilidade se esta força política "continuar numa linha de demagogia e populismo", em entrevista transmitida quarta-feira pela RTP3.

“O Chega também só aceitará conversar com um PSD que aceite ser oposição à séria e não a dama de honor do governo socialista. Se o PSD honrar a sua tradição e voltar a representar os portugueses descontentes com o atual rumo das coisas podemos conversar. Caso contrário, não há ponte possível”, lê-se em comunicado da direção nacional do partido de Ventura, atualmente presidente demissionário.

Os responsáveis do Chega acrescentaram que “é importante que o PSD saiba que o Chega nunca será muleta de nenhum partido e não será o CDS do século XXI” e “ou há um verdadeiro projeto de transformação do país ou o Chega estará fora de quaisquer jogos ou conversações políticas”.

"Não depende do PSD, depende do Chega. Se o Chega evoluir de uma tal maneira que - embora seja um partido marcadamente de direita, em muitos casos de extrema-direita, muito longe de nós que estamos ao centro -, se o Chega evoluir para uma posição mais moderada, eu penso que as coisas se podem entender", afirmara Rio.

E questionado se não descarta, então, essa possibilidade, Rio respondeu: “Face ao que o Chega tem sido, descarto. Espero é que o Chega possa evoluir para um plano um pouco mais moderado, então não estou a dizer que se faça, mas é possível conversar”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José J C Cruz Pinto
    30 jul, 2020 Ílhavo 16:21
    Isso! Conversem, pois, que é para que as águas e os sedimentos se separem de verdade, porque isto de se querer parecer social-democrata e ser ao mesmo tempo, desde sempre aliás, refúgio de tantos conservadores retrógrados (ainda que envergonhados), ou mesmo berço efectivo de populistas idiotas (como no caso do CHEGA), convém que se decante e esclareça.