Tempo
|
A+ / A-

Morreu bombeiro ferido no incêndio de Castro Verde

30 jul, 2020 - 15:44 • Cristina Nascimento

É o quinto bombeiro que morre no combate às chamas em 2020. Autarquia de Cuba decreta três dias de luto municipal.

A+ / A-

Morreu o bombeiro de Cuba que ficou ferido a 13 de julho no combate às chamas em Castro Verde. A notícia é confirmada pela corporação.

"A Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Cuba tem o doloroso dever de comunicar o falecimento do BB3 Carlos Manuel Lopes Carvalho ferido no incêndio de Castro Verde e decretar o luto da instituição", lê-se no comunicado disponível na página de facebook da associação humanitária.

O bombeiro estava internado no Hospital de Santa Maria, em Lisboa. É o quinto bombeiro que morre no combate às chamas em 2020.

O ministro da Administração Interna já manifestou "profunda consternação" pela morte do bombeiro Carlos Carvalho.
Numa nota de pesar, Eduardo Cabrita refere que foi com "enorme tristeza" que recebeu a notícia da morte do bombeiro Carlos Carvalho, dizendo que o momento é de "profunda consternação e endereçando pêsames à família, amigos e à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Cuba".
"Gostaria ainda de manifestar os meus votos de recuperação ao bombeiro Carlos Heleno, também do Corpo de Bombeiros da Cuba, igualmente ferido neste incêndio", acrescenta o ministro.
Nas palavras de Eduardo Cabrita, neste momento de pesar é "tempo ainda de recordar e enaltecer o compromisso e o empenho com que, diariamente, milhares de bombeiros de todo o país contribuem de forma decisiva para a defesa da floresta contra incêndios e para a salvaguarda de todos os portugueses".

Também a Liga dos Bombeiros Portugueses lamentou "o trágico falecimento" de Carlos Carvalho, acrescentando que "todas as Associações/Corpos de Bombeiros colocam as bandeiras a meia haste, a partir de hoje e até ao final do dia do funeral do Bombeiro Carlos Carvalho, como forma de sentida homenagem nacional ao Soldado da Paz falecido em serviço".

Três dias de luto municipal

A Câmara de Cuba, no distrito de Beja, decretou, entretanto, três dias de luto municipal.
A autarquia refere, numa nota de pesar divulgada na sua página na rede social Facebook, que "em memória e reconhecimento de Carlos Carvalho" será decretado, com efeito a partir de sexta-feira, um período de três dias de luto municipal.
O município escreve que foi com "profundo pesar" que tomou conhecimento da morte do bombeiro Carlos Manuel Lopes Carvalho.
"Neste que é um momento de dor e consternação para a nossa comunidade, a autarquia de Cuba expressa as mais sentidas condolências à família enlutada e a todos os membros da corporação de Bombeiros Voluntários de Cuba e a toda a família dos bombeiros portugueses", refere a nota.
"Nesta hora de tristeza", adianta o município, "devemos lembrar o Carlos pela sua qualidade altruísta, demonstrada pelos anos de serviço dedicados em prol do próximo, e destacar a sua entrega, dedicação e devoção aos Bombeiros Voluntários de Cuba".

[notícia atualizada às 19h05]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joaquim
    30 jul, 2020 Porto 18:37
    Morrem bombeiros, policias, enfermeiros, médicos e os subsídios de risco são para quem? Vergonha