|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Ensino Superior

Medicina. “Está para breve” decisão sobre curso em três universidades privadas

25 jul, 2020 - 14:05 • Marta Grosso , Marina Pimentel

Só falta o parecer da Ordem dos Médicos, que tarda a chegar. Presidente da Agência para a Avaliação e Acreditação do Ensino Superior diz à Renascença que não vai esperar muito mais.

A+ / A-

A Agência para a Avaliação e Acreditação do Ensino Superior decide até ao final da próxima semana que destino terão os três projetos para a criação de cursos de Medicina por universidades privadas.

Em declarações à Renascença, o presidente da agência, Alberto Amaral, revela que há três processos que só aguardam o parecer da Ordem dos Médicos.

“Neste momento, há um relatório dos peritos e estamos à espera do relatório da Ordem dos Médicos”, refere, admitindo tomar uma decisão “para breve”.

“Espero que a Ordem dos Médicos também não demore muito, senão teremos de avançar sem o parecer da Ordem dos Médicos”, avisa.

Alberto Amaral explica que a Ordem pediu “um adiamento por causa destes problemas com a pandemia” e que o prazo era até dia 22, mas “ainda não chegou nada”.

Agora, o presidente da Agência para a Avaliação e Acreditação do Ensino Superior dá até ao final do mês para receber o documento, caso contrário tomará a decisão sem ele. É possível? “Claro que sim. Se não o fornecerem a tempo e horas, o que havemos de fazer?”, responde.

António Almeida diz mesmo acreditar que, desta vez, estão criadas as condições para a Universidade Católica ter um curso de Medicina – algo que vê como muito positivo para reforçar a oferta no país

O diretor da comissão instaladora da Faculdade de Medicina nesta instituição considera ainda que, se o curso for aprovado, há condições para que possa avançar já no próximo ano letivo. Só falta a conclusão de uma obra de construção civil.As três instituições que aguardam uma decisão são a Universidade Católica, a Universidade Fernando Pessoa e a Cooperativa de Ensino Politécnico (CESPU).

Católica lembra que parecer não é vinculativo

A Universidade Católica aguarda com expetativa a decisão da Agência para a Qualificação e Acreditação do Ensino Superior sobre a criação de um curso de Medicina na instituição.

Numa primeira reação às declarações de Alberto Amaral, o diretor da comissão instaladora da Faculdade de Medicina da Católica lembra que o parecer da Ordem dos Médicos não será vinculativo.

António Almeida diz mesmo acreditar que, desta vez, estão criadas as condições para a Universidade Católica ter um curso de Medicina – algo que vê como muito positivo para reforçar a oferta no país

O diretor da comissão instaladora da Faculdade de Medicina nesta instituição considera ainda que, se o curso for aprovado, há condições para que possa avançar já no próximo ano letivo. Só falta a conclusão de uma obra de construção civil.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.