|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Ensino Superior regista maior aumento de vagas dos últimos cinco anos

24 jul, 2020 - 23:55 • Fátima Casanova

Número de vagas sobe pelo quinto ano consecutivo. Há mais 548 nas universidades e politécnicos, que abrem, no total, 51.408 vagas para o próximo ano letivo. Cursos com maior concentração de alunos com boas notas estão entre os que mais beneficiam deste aumento.

A+ / A-

É o quinto ano consecutivo de subida do número de vagas: há mais 548 nas universidades e politécnicos, que para o próximo ano letivo abrem, no total, 51.408 vagas. Beneficiam deste aumento os cursos que visam as competências digitais e aqueles com maior concentração de alunos com boas notas.

No âmbito do regime geral de acesso ao Ensino Superior, são disponibilizadas 51.408 vagas destinadas ao concurso nacional a que se juntam mais 721 para os concursos locais, o que representa um aumento de 1% face ao número de vagas disponibilizadas no ano anterior.

De acordo com os dados divulgados pela Direção Geral do Ensino Superior, o aumento de 548 vagas, é praticamente repartido por cursos que visam as competências digitais e pelos cursos que concentram mais candidatos de excelência. Neste caso, há mais 240 vagas, em Lisboa e no Porto, distribuídas por 15 cursos, sete são na área das engenharias. Entre eles está o de engenharia aerospacial, do Instituto Superior Técnico, em Lisboa, que no ano passado teve a nota mais alta de entrada no Ensino Superior, (18,95 valores), vai ter mais 18 vagas, subindo, assim, para um total de 110.

A outra aposta do Governo faz aumentar o número de vagas em cursos que visam as competências digitais (mais 227), com aumento mais expressivo nas instituições localizadas em zonas com menor pressão demográfica


Medicina com mais vagas

Também com luz verde para receber mais alunos, as faculdades de medicina rejeitaram essa possibilidade, exceção para a Universidade dos Açores, que vai ter mais seis vagas para o primeiro ciclo do curso, que depois tem continuação na Universidade de Coimbra. Para o próximo ano letivo, pela primeira vez, sobe, assim, o número de vagas em medicina, de 1517 para 1523.

A maioria das vagas está nas universidades do litoral

Como é habitual, mais de metade dos lugares disponíveis no Ensino Superior, estão nas universidades (28 546). Também mais de metade das vagas estão nos distritos de Lisboa (13 022), Porto (7 291) e Coimbra (5 730), que vão oferecer mais 272 lugares do que no ano anterior.

De destacar, no entanto, que o aumento do número de vagas é mais expressivo nas instituições localizadas em regiões com menor pressão demográfica (+ 2%) e também nos institutos politécnicos (+1,3%), são exemplos disso os politécnicos de Castelo Branco, da Guarda, de Portalegre e de Vila Real, que no seu conjunto oferecem mais 138 lugares.

Engenharia continua a ser a área com mais vagas

Por áreas de formação, a engenharia e técnicas afins, que não inclui engenharia civil, continua a representar a maior fatia com 9750 lugares a concurso, abriu mais 200 vagas para o ano letivo 2020/21.

De notar que o Governo aumentou o número de vagas em sete cursos de engenharia, que concentram os melhores alunos. Para além do já referido curso de Engenharia Aerospacial, os outros que abrem mais vagas são o de Engenharia Biomédica e Engenharia Física Tecnológica, do Instituto Superior Técnico, da Universidade de Lisboa. Os outros quatro cursos são da Universidade do Porto: Engenharia Mecânica, Engenharia Informática e Computação, Bioengenharia e Engenharia e Gestão Industrial.

Depois das engenharias, no que toca a áreas de formação, seguem-se as ciências empresariais (7638) e a Saúde (6608), que para o próximo ano letivo abriu menos 41 vagas, entre os cursos que sofreu cortes está o de enfermagem.

Notas mais altas não são exclusivas da medicina

As médias mais altas deixaram de ser um exclusivo dos cursos de medicina. No último ano letivo, dos 10 cursos com média de entrada acima de 18 valores, 5 eram da aérea das engenharias, 3 da medicina e 2 da matemática.

O curso com a média mais alta foi o de Engenharia Aeroespacial, do Instituto Superior Técnico, da Universidade de Lisboa. O último aluno a entrar tinha a média de 18.95 valores, de zero a vinte.

Os cinco cursos com melhor média de entrada

Do outro lado da tabela, no último ano letivo, em 24 cursos foi possível entrar com media abaixo dos 10 valores, 19 deles são lecionados nos institutos politécnicos, os outros repartem-se pela Universidade de Évora e de Trás-os-Montes e Alto Douro.

As datas e ferramentas para escolher o curso

O portal Infocursos, da responsabilidade da Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência, apresenta estatísticas que podem ajudar os estudantes a escolher o curso.

O portal apresenta informações que permitem saber quantos alunos tinham mudado de curso um ano depois de terem ingressado e quantos continuavam à procura de emprego um ano após terem terminado os estudos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.