Tempo
|
A+ / A-

Portugal lidera projeto europeu de apoio a empresas em contexto de Inovação Aberta

21 jul, 2020 - 10:18 • Olímpia Mairos

Projeto liderado pelo Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia vai testar novas abordagens para um melhor apoio à inovação através do financiamento a agentes de inovação. O lançamento da plataforma de colaboração empresarial está previsto para o início de 2021.

A+ / A-

O Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL) vai liderar um projeto de 1,5 milhões de euros de fundos europeus para apoiar empresas em contexto de Inovação Aberta.

De acordo com o instituto sediado em Braga, o projeto venceu concurso europeu ao abrigo do programa INNOSUP do Horizonte 2020, que tem como objetivo “testar novas abordagens para um melhor apoio à inovação através do financiamento a agentes de inovação”.

A Inovação Aberta tornou-se, desde 2015, “numa aposta da Comissão Europeia, que vê neste modelo colaborativo uma forma de as empresas reduzirem riscos financeiros e alcançarem de forma mais rápida uma vantagem competitiva”, sublinha o INL.

O projeto vai apoiar empresas de todo o continente europeu, através da aplicação prática do princípio da Inovação Aberta, através da qual as empresas procuram, externamente, ideias e tecnologias que possam ser integradas nos seus processos internos de inovação.

A rede PITCCH, nome escolhido para o projeto, vai ser capaz de construir um ecossistema europeu de apoio ao desenvolvimento da capacidade de inovação industrial, colocando “em contacto duas realidades empresariais distintas – Pequenas e Médias Empresas (PME) e Multinacionais – de modo a acelerar a cocriação de inovações de vanguarda, baseadas em tecnologias avançadas”, lê-se no texto enviado à Renascença.

O principal suporte da rede PITCCH será uma plataforma online para o lançamento de desafios tecnológicos pelas Multinacionais e onde será desenvolvida uma colaboração estruturada entre elas e as PME, tendo os Centros Tecnológicos como intermediários do processo.

Estas colaborações têm como objetivo “fortalecer as capacidades industriais e a competitividade das empresas Europeias com foco nos eixos de Digitalização da Indústria, Transformação Digital, Saúde, Alterações Demográficas e Bem-estar, Segurança Alimentar, Agricultura Sustentável e Bioeconomia, Energia Eficiente, Segura e Limpa, Transportes Inteligentes, Verdes e Integrados, e ainda Ação Climática, Eficiência na utilização de recursos e matérias-primas”, explica o INL.

O consórcio deste projeto é composto pelos parceiros: INL (Internacional), TNO (Holanda), RINA (Itália), S2i (Alemanha), Vitamina (Portugal).

O lançamento da plataforma de colaboração empresarial está previsto para o início de 2021.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.