Tempo
|
A+ / A-

PJ apreende 840 quilos de haxixe e 158 mil euros no Algarve

14 jul, 2020 - 12:10 • Lusa com Redação

Droga apreendida terá valor de mercado global de perto de dois milhões de euros. Operação visou grupo despecializado na recolha e distribuição de drogas em larga escala.

A+ / A-

A Polícia Judiciária (PJ) apreendeu 840 quilogramas de haxixe e 157.500 euros no interior do Algarve. A operação visou um grupo do Norte especializado na recolha e distribuição de drogas em larga escala.

Em comunicado publicado, esta terça-feira, no site oficial, a PJ revelou que a operação, levada a cabo da Diretoria do Norte, decorreu no último fim de semana. Fonte policial adiantou à Lusa que o haxixe apreendido, que análises laboratoriais indicam ser de grande qualidade, terá um valor de mercado global de perto de dois milhões de euros. A droga terá chegado por via marítima e seria levada, pelo grupo visado nesta operação, para grandes distribuidores de várias zonas do país.

“É um grupo extremamente profissional, que só faz transporte de droga em larga escala. Recolhe-a no importador e leva-a aos destinatários, que são grandes vendedores”, contou a referida fonte policial à Lusa.

O dinheiro apreendido corresponderia, admite a fonte, a pagamentos ao grupo pelos seus serviços. A ação policial saldou-se, ainda, pela apreensão de duas viaturas de gama alta e “elementos de elevada relevância probatória” para a investigação da PJ.

Operação de cooperação entre várias forças


A investigação prosseguirá, “para apresentar à Justiça os autores dos factos objeto desta operação policial”, informa a PJ, no comunicado.

A operação, ocorrida “essencialmente na região sul do país”, surgiu “no seguimento de investigação a grupo criminoso altamente audaz e organizado da região Norte, com ramificações em vários pontos do país”.

Envolveram-se também na operação elementos da PJ de Portimão e da GNR, através do Destacamento de Trânsito e posto territorial de Silves.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.