|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

José Guilherme Aguiar aconselha FC Porto a renovar com Sérgio Conceição

13 jul, 2020 - 12:45 • Luís Aresta

Só um treinador permaneceu no FC Porto depois de ser campeão duas vezes, faz notar o ex-dirigente portista, que assinala que em treinador que ganha não se mexe.

A+ / A-

Ainda que Pinto da Costa já tenha prometido que, enquanto for presidente do FC Porto, Sérgio Conceição será o seu treinador, José Guilherme Aguiar, ex-dirigente portista, considera aconselhável a renovação do contrato com o treinador.

“Acho que sim, muito embora o presidente do FC Porto já tenha sido perentório ao dizer que enquanto fosse presidente, o seu treinador seria o Sérgio Conceição. Acabou de ganhar eleições e durante o seu mandato não vejo outra alternativa”, diz o ex-dirigente do Porto, numa entrevista a Bola Branca.

Em março de 2019, Sérgio Conceição prolongou até junho de 2021 o contrato que o liga ao FC Porto, com que se prepara para se sagrar campeão nacional, pela segunda vez em três anos. O treinador de 45 anos chegou ao Dragão em 2017, depois de ter brilhado em França como técnico do Nantes. Em Portugal, já tinha treinado Olhanense, Académica, Braga e Vitória de Guimarães.

Para José Guilherme Aguiar, Sérgio Conceição é "tecnicamente ideal para continuar a comandar o plantel do FC Porto”. Contudo, face ao registo histórico dos treinadores campeões pelo Porto, não seria surpreendente se o técnico se sentisse tentado a sair: “Admito que sim. O histórico dos treinadores do FC Porto diz-nos que na sua esmagadora maioria foram todos bicampeões e, julgo que com exceção de Jesualdo Ferreira, nunca estiveram mais de duas épocas à frente da equipa."

Mérito a Sérgio por suportar pressão


Nestas declarações a Bola Branca, Guilherme Aguiar enaltece a forma como Sérgio Conceição suportou a pressão, nos momentos mais difíceis.

“O mérito pertence a toda a equipa, mas é evidente que o grande resistente foi indiscutivelmente o Sérgio Conceição, muito embora, em determinadas alturas, tivesse ficado um tudo ou nada descrente”, refere.

A poucos dias do FC Porto festejar o 29.º título de campeão nacional, José Guilherme Aguiar reconhece que a administração da Porto SAD fez bem em manter a aposta no treinador, mesmo quando estava a sete pontos do Benfica e muitos duvidavam da sua capacidade para manter a equipa na luta pelo título: “É evidente que a administração da SAD também foi resistindo, mas, que remédio. Era a sua obrigação."

A "arma secreta" Luís Gonçalves


Quando diz que o mérito é de todos, José Guilherme Aguiar não se refere apenas a treinador e jogadores do FC Porto. O ex-dirigente e adepto portista destaca a importância do trabalho desenvolvido nos bastidores pelo diretor-geral para o futebol, Luís Gonçalves, “uma pessoa extraordinariamente discreta, exceto quando está sentado no banco, situação em que de vez em quando é demasiado emotivo”, confessa.

José Guilherme Aguiar não duvida que uma boa parte do mérito desta conquista iminente passa pelo empenho de Luís Gonçalves.

“Conheço-o pessoalmente há muitos anos. Muito do que se fez, da reabilitação anímica e mental dos jogadores, do equilíbrio que se foi passando no plantel e no departamento de futebol, quando os resultados não apareceram, é trabalho dele. Grande parte do título também tem de lhe ser atribuído”, sublinha.

Da descrença à festa, com precaução


“Terei de confessar que esta época não estaria no rol daqueles que confiavam incondicionalmente”, responde José Guilherme Aguiar, quando confrontado sobre o grau de surpresa deste título, depois da forte sangria a que o plantel do FC Porto foi submetido no final da época passada.

O ex-dirigente confessa que tinha “algumas reservas quanto à mais-valia do plantel”, sublinhando, porém, que “Sérgio Conceição tem sabido equilibrar muito bem a prestação da equipa”.

O 29.º campeonato para o Porto chega num contexto único e que se deseja irrepetível, face à pandemia da Covid-19. José Guilherme Aguiar adverte os adeptos:

“Devemos e temos que ter muito cuidado. Um título do FC Porto, por muito valioso que seja, por muito mérito e repercussão que possa ter, não vale a saúde de cada um de nós. Festejem a sério, mas pensando sempre nas precauções que devem tomar, porque não vale a pena ser adepto de um clube campeão e ter uma doença como, infelizmente, ainda se verificam muitas neste país."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.