Tempo
|
A+ / A-

Rezar mais e murmurar menos. O apelo do Papa na festa de São Pedro

29 jun, 2020 - 10:40 • Aura Miguel

“As lamentações não mudam nada”, afirma Francisco, deixando também um apelo à oração por quem nos governa. Durante a oração do Angelus, Francisco lembrou que “a coisa mais importante na vida é fazer da vida um dom".

A+ / A-

O Papa Francisco apelou à unidade dentro e fora da Igreja. Na missa da solenidade de São Pedro e São Paulo, que celebrou na basílica vaticana nesta segunda-feira, considerou “inútil, e até chato, que os cristãos percam tempo a lamentar-se do mundo, da sociedade, daquilo que está errado”.

E acrescentou, a propósito do exemplo dos apóstolos Pedro e Paulo: “As lamentações não mudam nada. Aqueles cristãos não culpavam, rezavam. (…) Não falavam por trás, mas com Deus. Hoje, podemos interrogar-nos: ‘Guardamos a nossa unidade com a oração? Rezamos uns pelos outros?’ Que aconteceria se se rezasse mais e murmurasse menos?”, questionou o Papa.

Rezar por quem não pensa como nós

O apelo à oração é um convite também a rezar por quem governa.

“Rezemos pelos governantes que precisam de oração. É uma tarefa que o Senhor nos confia. Temo-la cumprido? Ou limitamo-nos a falar?”, perguntou o Santo Padre.

“Quando rezamos, Deus espera que nos lembremos também de quem não pensa como nós, de quem nos bateu com a porta na cara, das pessoas a quem nos custa perdoar. Só a oração desata as algemas, só a oração deixa livre o caminho para a unidade”, sublinhou.

Agradar a todos não é consenso

Nesta homilia, o Papa também apelou à coragem da verdadeira profecia e “não discursos que prometem o impossível, mas testemunhos de que o Evangelho é possível”.

Francisco quer uma Igreja onde “não são necessárias manifestações miraculosas, mas vidas que manifestam o milagre do amor de Deus. Não potência, mas coerência; não palavras, mas oração; não proclamações, mas serviço”.

O Papa criticou ainda aqueles que falam de profecia apenas teoricamente e acrescentou: “se queres uma Igreja profética, começa a servir e não fales; não teoria, mas testemunho. Precisamos não de ser ricos, mas de amar os pobres; não de ganhar para nós, mas de nos gastarmos pelos outros; não do consenso do mundo, nem de agradar a todos (ou, como se diz estar a bem com Deus e com o diabo): isto não é consenso”.

Do que a Igreja precisa, conclui o Papa, é de “pastores que ofereçam a vida; de enamorados de Deus.”

O mais importante na vida

Mais tarde, durante a oração do Angelus, o Papa afirmou que “a coisa mais importante na vida é fazer da vida um dom. E isso aplica-se a todos: é para os pais em relação aos filhos e para os filhos em relação aos pais idosos.

E não só. É também “para aqueles que são casados e para aqueles que são consagrados; aplica-se a todos os lugares, em casa e no trabalho e a qualquer pessoa próxima a nós”, acrescentou.

“Deus quer que cresçamos no presente: somente assim crescemos”, disse ainda.

Em relação aos mais velhos, Francisco mostrou-se preocupado com a situação de “tantos idosos deixados sozinhos pela família, como se fossem material a descartar”. E conclui: “é o drama dos nossos tempos: a solidão dos idosos.”


[Notícia atualizada às 12h00 com as palavras de Francisco durante a oração do Angelus]

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Adelino Carneiro
    29 jun, 2020 Terras da Vernária 23:19
    Exorto todos os escribas e fariseus a ler e levar a sério a mensagem deste Santo de corpo e alma. Este tempo em que vivemos é, sem dúvida, o tempo do diabo. O tempo de Deus aproxima - se. Esperem - o. Boa Noite .