|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Covid-19 por concelho. Sintra regista o maior aumento de novos casos diários

14 jun, 2020 - 13:09 • Sofia Freitas Moreira

Sintra, Cascais, Seixal e Amadora são os concelhos que registam o maior aumento de novos casos de infeção. Em Portugal, 25 municípios registam um aumento de casos de Covid-19, nas últimas 24 horas. Os dados da Direção-Geral da Saúde revelam a totalidade de notificações médicas no sistema SINAVE, mas deixam de fora notificações laboratoriais.

A+ / A-

Veja também:


Dados divulgados este domingo, no boletim epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde (DGS), revelam que há 229 concelhos portugueses com, pelo menos, três casos confirmados de Covid-19.

Segundo o mesmo documento, nas últimas 24 horas, registaram-se 227 novos casos em todo o país. No entanto, os dados referentes aos concelhos, dão conta de apenas 91% destes novos casos diários. À Renascença, a Direção Geral da Saúde adianta que "existem sempre acertos nos dados por concelhos, quer por atraso de notificação, quer por relocalização do utente em área de residência".

O diretor do serviço de doenças infecciosas do Hospital Curry Cabral tinha já admitido, também em entrevista à Renascença, atrasos no registo dos dados no SINAVE.

Sintra (+27), Cascais (+18), Seixal (+15) e Amadora (+14) são os concelhos que registam o maior aumento de infeções, nas últimas 24 horas, segundo a lista da DGS. De acordo com o mesmo boletim, 25 concelhos registam, pelo menos, mais um caso confirmado de Covid-19 face ao dia anterior e nove concelhos somam mais de mil infetados - Lisboa, Vila Nova de Gaia, Sintra, Porto, Matosinhos, Braga, Loures, Gondomar e Amadora.

Sabendo que a contabilização não será relativa ao total dos casos – nem acompanhará em simultâneo os dados reportados pelas autarquias - a DGS optou por disponibilizar apenas dados do SINAVE, sistema nacional de vigilância epidemiológica (91% do total de casos confirmados).

Apesar de não ter registado um aumento no número de novas infeções, Lisboa continua a ser o concelho português mais afetado pela pandemia. Está no topo da tabela com um total de 2.852 infetados com o novo coronavírus. 283 concelhos mantêm o número de infetados face ao dia anterior.

O boletim diário da Direção-Geral da Saúde mostra que este domingo há mais recuperados, do que novos casos de infeção. Portugal regista 1.517 óbitos (mais cinco em 24 horas) e 36.690 casos positivos pelo novo coronavírus (mais 227).

“Foram mais os casos de pessoas que se curaram do que novas infecções o que é sempre um sinal de esperança”, destacou o secretário de Estado da Saúde.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo há mais 206 casos, 91% do total de novos casos registados nas últimas 24 horas.

Os números mostram que 22.669 pacientes recuperaram da doença. (mais 231 em 24 horas).

Há uma diminuição das pessoas hospitalizadas: estão internadas 419 pessoas (menos nove), das quais 73 (menos quatro) nos cuidados intensivos.

Segundo o relatório, 1.385 aguardam o resultado das análises laboratoriais e 30.658 estão sob vigilância das autoridades de saúde.

Nesta altura, a taxa de letalidade global é de 4,1%, já acima dos 70 anos está nos 17,4%.

Na conferência de imprensa, o secretário de Estado da Saúde revelou que diminuiu o número infeções nos lares. Segundo António Lacerda Sales há 246 casos, o que representa apenas 10% do universo dos lares.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 427 mil mortos e infetou mais de 7,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Margarida Guerra Guerra
    15 jun, 2020 18:15
    Sintra esta um barril de polvora com esses jovens . E preciso controlar se ha 4 policias mandem os goe
  • Pedro
    14 jun, 2020 Cacém-Sintra 15:06
    O presidente da câmara de Sintra devia ter vergonha ao manter uma esquadra de polícia onde não conseguem nos proporcionar a segurança na freguesia do Cacém e arredores. Eu moro na rua Melquíades Marquês e é uma pura vergonha mais parece a feira do relógio pois praticamente todas as noites á assados e festas até caírem E NINGUÉM mas ninguém faz nada a polícia nem aparece mesmo que os chamemos ninguém aparece pois nós dizem e com TODA a razão que não têm pessoal que chegue pois se vierem aqui a minha rua seria 30 delicuentes para 4 polícias . Agora me digam como podemos estar descansados os de gravata dizem para nós confinar os delinquentes fazem assados e bebem cerveja dos cafés que lhe vendem como e que covid-19 vai desaparecer .