Tempo
|
A+ / A-

​Centros comerciais querem abrir já na segunda-feira como o comércio de rua

13 mai, 2020 - 17:59 • Dina Soares

Os centros comerciais garantem que estão preparados para retomar a atividade e lembram que do seu funcionamento depende a manutenção de mais de 100 mil postos de trabalho.

A+ / A-

Veja também:


Os centros comerciais querem voltar à atividade já na próxima segunda-feira, 18 de maio. Em comunicado, o presidente da Associação Portuguesa de Centros Comerciais (APCC) defende a antecipação da reabertura do comércio não alimentar e da restauração dentro dos centros comerciais, aplicando-se as mesmas regras definidas para o comércio de rua.

António Sampaio de Mattos lembra que os centros comerciais são responsáveis por mais de 100 mil postos de trabalho, e “podem dar um contributo fundamental para a retoma da economia, pelo que é essencial o seu regresso ao normal funcionamento o mais brevemente possível”.

Sublinha também que as atividades que se mantêm impedidas de funcionar, nomeadamente as atividades do sector não alimentar e restauração para consumo de refeições no seu interior são responsáveis por uma percentagem significativa das lojas dos centros comerciais e, por isso, têm um peso determinante na retoma da economia.

A APCC elaborou um guia de boas-práticas para o funcionamento dos centros comerciais, que entregou à Direcção-Geral da Saúde (DGS) e ao Governo.

No documento está previsto, por exemplo, que cada centro comercial tenha uma ocupação máxima de cinco visitantes por cada 100 m2, devendo cada visitante ter um tempo mínimo de permanência no espaço.

Obriga também ao uso de máscara ou viseira no interior e ao respeito das regras de higiene das mãos e de etiqueta respiratória.

Os aglomerados com mais de 10 pessoas são proibidos, exceto de forem todos da mesma família.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.