Tempo
|
A+ / A-

Pandemia de Covid-19

OMS contra levantamento precoce de medidas de combate à Covid-19

10 abr, 2020 - 19:33 • Redação

“A fase de descida pode ser tão perigosa como a subida, se não for acompanhada de forma adequada”, avisa Tedros Ghebreyesus.

A+ / A-

Veja também:


O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda cautelas aos países que tencionam levantar já as medidas para conter a pandemia de Covid-19. Tedros Ghebreyesus afirma que o planeta está "numa fase de pânico" e é preciso reforçar os sistemas de saúde.

A organização gostaria que houvesse uma folga nas medidas de exceção, mas considera que “levantar as restrições poderá levar a um ressurgimento do aumento de mortes”.

“A fase de descida pode ser tão perigosa como a subida, se não for acompanhada de forma adequada”, avisa Tedros Ghebreyesus.

O responsável admitiu esta sexta-feira, em conferência de imprensa, a existência de um abrandamento da pandemia em alguns países europeus, nomeadamente em Itália, Alemanha, Espanha e França.

No entanto, tem-se verificado um “alarmante aceleramento” noutros países, incluído casos de transmissão na comunidade em 16 nações africanas, alertou.

Tedros Ghebreyesus diz que a OMS está a trabalhar com os países para encontrar estratégias para um levantamento gradual das restrições, mas é necessário ter em conta vários fatores, um deles que a transmissão esteja controlada.

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde mostrou ainda preocupação com a percentagem de elevada de profissionais de saúde infetados, que ronda os 10% em alguns países.

O responsável considera que o mundo está numa fase de pânico e nenhum país está imune e ninguém pode dizer que tem um forte sistema de saúde. Temos de melhorar os nossos sistemas de saúde”

“Como todos sabem estamos agora numa fase de pânico, porque há este vírus perigoso e invisível, e há pânico e preocupação. Mas, pelo que temos visto até agora, nenhum país está imune, nenhum país pode reclamar que tem um sistema de saúde forte. Temos de ser honestos e dar melhor condições de saúde às populações e ao mesmo tempo proteger os profissionais de saúde”, apelou Tedros Ghebreyesus na conferência de imprensa desta sexta-feira.

Mais de cem mil pessoas já morreram, a nível global, em consequência da doença Covid-19, segundo um balanço divulgado esta sexta-feira ao final do dia pela agência France Press.

De acordo com os dados recolhidos pela agência noticiosa junto de fontes oficiais, e divulgados às 18h30 (hora de Lisboa), 100.661 pessoas morreram por causa do novo coronavírus, 70% (70.245) das quais na Europa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.