|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Mais de 15 mil mortos em Espanha

09 abr, 2020 - 10:26 • Redação

Em 24 horas registaram-se mais 683 óbitos. O número de infetados pela Covid-19 é superior a 152 mil.

A+ / A-

Veja também:


Espanha ultrapassou, esta quinta-feira, a barreira das 15.00 mortes devido ao novo coronavírus.

Com registo de 683 novos óbitos em 24 horas - ainda assim, representa uma descida no número diário, depois de dois dias a subir -, o número total passa a ser de 15.238.

O número de diagnósticos de Covid-19, no total, passa a ser de 152.446, o que supõe uma subida de 5.756 face ao dia anterior. Há, ainda, registo de 52.165 recuperações da doença.

A região com mais casos positivos é a de Madrid, com 43.877 infetados e 5.800 mortos, seguida pela da Catalunha (31.043 e 3.148), a de Castela-Mancha (12.489 e 1.322), a de Castela e Leão (10.518 e 1.082) e a do País Basco (9.806 e 689).

Termina hoje em Espanha o período extraordinário de duas semanas em que só podiam sair de casa os que asseguravam a produção e os serviços de primeira necessidade ou essenciais.

Todos aqueles que trabalham em casa vão continuar a fazê-lo, mas os que não o podem fazer são autorizados a deslocar-se, apenas até ao seu local de trabalho a partir de segunda-feira, depois do fim de semana alargado da Páscoa.

O parlamento espanhol irá votar hoje a proposta do governo para prolongar por mais duas semanas, até às 24h00 de 25 deste mês, o “estado de emergência” em vigor desde 15 de março, com o objetivo e lutar contra o novo coronavírus.

Espanha é o segundo país do mundo com mais casos confirmados do novo coronavírus, atrás dos Estados Unidos (435.160 à data da última atualização). É, também, o segundo país com mais mortes por Covid-19, depois da Itália (17.669 na quarta-feira).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.