Tempo
|
A+ / A-

Coronavírus. Rainha de Inglaterra pede união e autodisciplina

05 abr, 2020 - 20:58 • Redação

Isabel II diz que esta é um desafio diferente mas que o Reino Unido deve manter-se “unido e determinado” para vencer a pandemia.

A+ / A-

A Rainha Isabel II garante que os britânicos vão ultrapassar a pandemia e que vão voltar a encontrar-se.

Numa rara mensagem televisiva, Isabel II reconhece que as dificuldades e o stress que o país e o mundo atravessam devido ao novo coronavírus.

A Rainha Isabel II pediu “autodisciplina” num momento “difícil” que trouxe “desgosto a alguns, dificuldades financeiras a muitos e enormes mudanças às vidas quotidianas de todos nós”.

No entanto, exorta o país a manter-se “unido e determinado”. Se assim se mantiverem vão “ultrapassar as dificuldades”.

“Já ultrapassámos desafios antes, mas este é diferente. É altura de todas as nações se juntarem num desafio comum, utilizando os grandes avanços da ciência”.

Fora a mensagem de Natal, este foi apenas a quinta vez que a Rainha falou à nação em 68 anos de reinado. As anteriores foram o início da guerra do Golfo, a morte da princesa Diana, a morte de sua mãe e por altura dos seus 60 anos de liderança.

O discurso televisivo foi mostrando imagens de médicos e enfermeiros e outros trabalhadores essenciais neste período de pandemia.

A Rainha agradeceu a todos pelos seus serviços nesta altura de crise mundial.

“Espero que nos próximos anos todos sejam capazes de se orgulhar em como vocês responderam a este desafio. E aqueles que vierem a seguir a nós vão dizer que os britânicos desta geração foram tão fortes como os mais fortes”.

No Reino Unido já há mais de 47 mil casos e quase cinco mil mortos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Roberto Moreno
    06 abr, 2020 Lisboa 12:19
    Sugiro que, num futuro próximo, a rainha da Inglaterra, Isabel II, possa anunciar que cada cidadão inglês tenha uma segunda língua de comunicação, para alem do inglês. - O motivo é para erradicar o monoglotismo no mundo e promover o bilinguismo, via diálogo democrático! E, neste âmbito aconselha-se a língua “portuguesa” do Brasil, pois a mesma possui em sua estrutura gramatical 90% do castelhano, sendo o contrário não verdadeiro, e desta forma instituir-se uma União Anglo-Iberófona com 1,600 milhões de pessoas no mundo, sendo, os Iberófonos, a metade com 800 milhões de pessoas presentes em 30 países nos 5 continentes. É o início de uma “Pandemia do diálogo”, incentivando a adesão da China e Índia com 2,800 bilhões a unirem-se numa aliança geoestratégica com 4,400 bilhões de pessoas. - É a “Anglo-coroa-inglesa, do bem!