Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

O apelo de Ramalho Eanes: em caso extremo os mais velhos devem ceder os ventiladores aos mais novos

02 abr, 2020 - 07:19 • Redação

Antigo Presidente lembrou ainda que as pessoas "têm de ficar em casa o tempo que for necessário".

A+ / A-

Veja também:


O antigo Presidente da República deixa um apelo aos mais velhos em plena pandemia da Covid-19. Com 85 anos, Ramalho Eanes pede aos mais velhos para que fiquem em casa e, se for caso disso cedam o ventilador aos mais novos.

“Nós, os velhos, vamos ser os primeiros a dar o exemplo. Não saímos de casa, recorremos sistematicamente aos cuidados que nos são indicados e mais, quando chegarmos ao hospital, se for necessário oferecemos o nosso ventilador ao homem que tem mulher e filhos”, disse em entrevista à RTP na noite de quarta-feira.

Nestas declarações, o antigo Presidente disse ser necessário dar o exemplo para mostrar que esta situação vai ser ultrapassada.

“Nós – e eu falo porque sou um velho de 85 anos – nós, os velhos, devemos pensar que a nossa situação é igual à dos outros. E se alguma coisa há, é a obrigação suplementar de dizer aos outros que isto já aconteceu, que se ultrapassou, que [esta crise] vai ser ultrapassada.”

Ramalho Eanes defendeu ainda que as Forças Armadas deveriam ter sido mobilizadas há mais tempo para fazer face ao novo coronavírus, considerando haver custos que poderiam ter sido evitados se os hospitais não tivessem sido a primeira linha de combate.

Num tom crítico, Ramalho Eanes lembrou que “o homem julgou que era capaz de tudo, que podia dominar tudo. Esta situação pandémica mostra que afinal continua a ser o ser frágil, falível, que tem de estar em permanente ligação e comunhão com os outros”. Na sua opinião, a crise atual “vai fazer com que repensemos o próprio Estado, as próprias funções do Estado”.

Em Portugal, segundo o último balanço pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 187 mortes, mais 27 do que na véspera, e 8.251 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 808 em relação a terça-feira.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 930 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 47 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos, 195 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a OMS a declarar uma situação de pandemia.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+