|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Da Capa à Contracapa

"Ensino à distância terá sempre de ser complementado com o presencial", diz ​Marçal Grilo

28 mar, 2020 - 16:57 • José Pedro Frazão

Antigo ministro da Educação sublinha a importância da capacidade tecnológica na resposta social à crise da Covid-19, mas insiste que na educação, como na saúde, o contacto físico é fundamental.

A+ / A-
Da Capa à Contracapa - O melhor e o pior da crise do coronavírus - 28/03/2020
Da Capa à Contracapa - O melhor e o pior da crise do coronavírus - 28/03/2020
Clique na imagem para ouvir o episódio na íntegra

O que terá sido a pneumónica de 1918 sem a tecnologia que hoje temos ? A interrogação deixada no ar por Eduardo Marçal Grilo serve para subscrever o papel insubtituível das comunicações e da tecnologia na gestão social da actual crise pandémica. O antigo ministro da Educação debateu o impacto social e psicológico da pandemia com a psicóloga social Luisa Lima no programa "Da Capa à Contracapa" da Renascença.

"Estávamos todos muito preocupados [com a forma] como se passava para a sociedade digital. Agora não devemos ter preocupação nenhuma. As medidas de emergência que se estão a tomar, não todas, vão perdurar no tempo. Sempre assim foi. As coisas que se inventaram durante a guerra acabaram por ser grandes avanços para o resto da sociedade", salienta Marçal Grilo que acrescenta que o factor fundamental prende-se com a duração da pandemia que vai trazer "muitas alterações, talvez não tantas como possamos pensar".

O antigo administrador da Fundação Gulbenkian admite que a crise pandémica vai acentuar a desigualdade já existente entre pessoas, famílias, ricos e pobres.

Dando o exemplo da educação, o antigo ministro sublinha que o ensino à distância está testado há muito tempo, com aspetos negativos e positivos.

" A minha opinião é que vamos acelerar alguns aspectos da educação no tele-ensino. Se será a telescola do século XXI ? Pode ser, mas terá sempre que ser complementada com o ensino presencial. A educação é algo que liga às pessoas, desde o Platão que isto é verdade", sustenta o antigo governante que ocupou a pasta da Educação nos Governos de António Guterres.

O mesmo raciocínio deve ser aplicado à saúde, onde uma das chaves é a relação de confiança entre o médico e o paciente.

"A telemedicina também vai ter um impacto enorme. Mas o acto médico é uma coisa muito íntima, muito pessoal, muito própria, muito caracteristica da relação entre duas pessoas. É uma pessoa que tem confiança na outra e mete nas suas mãos a sua saúde. Que lhe diz o que pensa, o que sente, o que gostava de fazer, qual a dificuldade que tem. Estas coisas não se fazem muito pelas tecnologias, mas pelo contacto dos olhos com os olhos", exemplifica o actual membro do Conselho de Curadores da Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Num testemunho mais pessoal, o convidado do "Da Capa à Contracapa" exalta a importância do contacto físico no plano familiar.

"Estou há quase três semanas em casa sozinho com a minha mulher e tenho imensa pena de não poder tocar nas minhas netas e nos meus netos. Aliás tenho dois em Itália, em Milão, imagine a nossa preocupação. Todos os dias ligamos-lhes pelo Whatsapp, conseguimos vê-los e conversar com eles através do Facetime", confessa o antigo ministro no "Da Capa à Contracapa" da Renascença, em parceria com a Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Pode ouvir este programa aos sábados, às 9h30, ou sempre que quiser na página do podcast no site da Renascença ou nas plataformas digitais habituais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.