|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Dicas para sobreviver ao regime de teletrabalho

18 mar, 2020 - 09:14 • Sandra Afonso

Quem já experimentou trabalhar a partir de casa sabe o desafio que representa. Na atual situação, de pandemia, com toda a família a partilhar o mesmo espaço, facilmente pode descarrilar e tornar-se um pesadelo. Mas, bem executado, todos podem retirar muitas vantagens do teletrabalho: funcionários, empregadores, família e até animais.

A+ / A-

Veja também:


O teletrabalho permite flexibilizar horários e localização, mas também exige um elevado nível de organização, autogestão e capacidade de colaboração.

Deixamos uma lista de recomendações e dicas, para quem está a trabalhar a partir de casa:

• Vista-se para trabalhar

Mesmo em casa, mantenha as rotinas, crie um horário e prepare-se como se fosse para a empresa: tome banho, tome o pequeno almoço e vista-se de forma confortável, mas preparado para sair ou encontrar colegas de trabalho.

• Organize um espaço de trabalho

A vantagem é que pode escolher onde prefere trabalhar. Neste caso, devido ao risco de contaminação, tem de ser a partir de casa, mas pode ser na sala, na varanda ou no escritório: deve ser um espaço "agradável, luminoso, silencioso e tranquilo, longe de outros espaços da casa como a cozinha ou zona de refeição", defende a multinacional de Recursos Humanos Gi Group. Uma zona dedicada, arrumada e organizada, vai ajudar na concentração.

• Garanta que está conetado

Para trabalhar à distância precisa de ligações à internet rápidas e fidedignas. Com mais funcionários a trabalharem a partir de casa, é possível que aumente o tráfego e a dificuldade de envio. As operadoras já anteciparam eventuais problemas, MEO, NOS e Vodafone estão a oferecer desde o dia 17 10GB de dados aos clientes, particulares e empresariais, por 30 dias. Mas têm de ser subscritos, até ao final de Março, no site ou respectiva App.

Se tem uma casa grande e dificuldade em garantir que a internet chega a todas as divisões, pode ser uma boa altura para melhorar o sinal, através de equipamento adequado.

Explore novas ferramentas de gestão e comunicação

Hoje já é possível garantir quase toda a agenda de trabalho à distância (dependendo da profissão), com a ajuda das novas tecnologias: reuniões por videoconferência, salas de discussão ou agendas partilhadas.

Skype e Whereby.com - permitem realizar reuniões em videoconferência, com mais de um utilizador - mais um motivo para tirar o pijama!

Asana - organiza projectos e tarefas em equipa, sem correio eletrónico.

Slack - partilha de mensagens instantâneas entre equipas, agiliza a comunicação, também permite videochamada e troca de arquivos.

Teams - ferramenta de comunicação entre equipas da Microsoft, agora com acesso livre, na sequência do coronavírus.

Trello - é um gestor de projectos, permite criar, atribuir e concluir tarefas, trocar informações e planear. Pode ser utilizado a título pessoal ou profissional.

• Etiqueta profissional

Prepare as videoconferências. Não basta despir o pijama, tenha atenção à imagem que aparece atrás de si, escolha um local sóbrio e discreto. Não falamos apenas com a voz, cuidado com os gestos, o local e a forma como se senta, tudo passa uma mensagem aos colegas e superiores que estão do outro lado do ecrã. Sirin Kale, no The Observer, chama ainda a atenção para a troca de mensagens entre colegas durante as videoconferências, não só podem ser mal interpretadas como, algumas ferramentas, conservam as conversas e permitem que outros tenham acesso.

• Faça pausas

Tal como no trabalho, pare para beber um café, vá até à varanda, faça um telefonema, fale com alguém em casa. As pausas são fundamentais, para manter a concentração e conter a ansiedade, mas "devem ser programadas". A empresa de recursos humanos Gi Group, recomenda uma paragem de cinco minutos, por cada 55 minutos de trabalho.

• Mantenha-se contactável

Hoje é cada vez mais difícil para o trabalhador "desligar" fora do horário laboral, a qualquer momento recebe informação e, muitas vezes, solicitações, relacionados com a sua actividade. Em casa, a definição de um horário é ainda mais difícil, porque mesmo quando o trabalho não está dividido por turnos, sem sempre os horários coincidem. Na prática, este desencontro obriga os funcionários a estarem mais vigilantes ao e-mail e outros meios de contacto, assim como manterem-se contactáveis.

• Arrume a secretária

Manter o contacto não significa retomar sucessivamente o trabalho. Páre! Respeite um horário, feche o computador ou as aplicações, arrume o espaço de trabalho, mude de divisão. Amanhã é outro dia.



O teletrabalho, uma novidade para muitos, está definido por lei, que garante também direitos e deveres ao trabalhador. No actual contexto, ficam algumas notas:

- Quem está em teletrabalho não tem direito a subsídio por assistência à família, não são cumuláveis;

- Tem direito a tempos de descanso e repouso. Segundo a Deco, "a entidade patronal não pode esperar que esteja disponível 24 horas por dia, 7 dias na semana".

- O empregador pode controlar a atividade e os instrumentos de trabalho do empregado, por exemplo, com uma visita à residência, entre as 9h00 e as 19h00.

- Se o contrato de trabalho não avançar outra indicação, os instrumentos de trabalho pertencem ao empregador, que deve assegurar a instalação, manutenção e despesas. O funcionário só pode usá-los para trabalhar, a menos que a empresa autorize o contrário.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.