|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Covid-19

Estado de emergência. Qual é o papel das Forças Armadas?

16 mar, 2020 - 18:06 • Ana Rodrigues

Marcelo deverá declarar o estado de emergência na quarta-feira por causa da pandemia de Covid-19. Nesse cenário, os militares são chamados a apoiar os polícias, algo inédito na história da democracia portuguesa.

A+ / A-

Veja também:


O que define a lei?

Se na próxima quarta-feira for declarado o estado de emergência em Portugal, os militares podem vir a ser chamados a apoiar as polícias. Trata-se de uma situação inédita em democracia.

O estado de emergência pode ser decretado perante uma situação de "calamidade pública” como está previsto na Lei n.º44/86 que estabelece o regime de estado de sítio e de estado de emergência.

Sobre isto, lê-se no artigo 9.º : “prevendo-se, se necessário, o reforço dos poderes das autoridades administrativas civis e o apoio às mesmas por parte das Forças Armadas”.

Quem executa o estado de emergência?

No estado de emergência, as competências dos órgãos de soberania não são alteradas. O estado excecional previsto na Constituição é declarado pelo Presidente e adotado pelo Parlamento. Ao Governo cabe a execução e a fiscalização do cumprimento das regras adotadas durante esse período.

Como vai ser implementado o apoio dos militares?

A mobilização das Forças Armadas, através de solicitação da Secretária Geral do Sistema de Segurança Interna, pode ser necessária para, em apoio às forças de segurança, garantir o cumprimento das normas. Quem não cumprir a quarentena e estiver na rua, além do estritamente necessário, pode incorrer em crime de desobediência.

Como vai funcionar na prática a articulação entre polícias e militares?

A cooperação entre Forças de Segurança e Forças Armadas deverá acontecer ao abrigo do acordo assinado em fevereiro entre a Secretária Geral do Sistema de Segurança Interna, Helena Fazenda, e o Chefe de Estado Maior-General das Forças Armadas, almirante Silva Ribeiro.

O acordo estabelece as “orientações para a articulação operacional entre as Forças Armadas e as Forças e Serviços de Segurança” e define conceitos como “direcção operacional, interoperabilidade, operações planeadas e incidente de segurança e incidente táctico policial grave”.

No estado de emergência quem detém o comando operacional?

Os meios ou capacidades empregues pelos militares - mantendo a dependência hierárquica do seu comando militar e da sua autonomia técnica e tática - serão dirigidos através de oficiais de ligação das Forças Armadas, sob a direção operacional do responsável da força de segurança competente que exerce o comando da operação.

Tem dúvidas sobre o coronavírus? Deixe-nos as suas perguntas aqui e os especialistas de saúde pública respondem em antena e no digital da Renascença.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.