|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Évora

O olhar e a voz das mulheres na segunda edição do festival “Artística”

05 mar, 2020 - 12:13 • Rosário Silva

Está a decorrer em Évora até dia 8. Encerra com o espetáculo de Joana Amendoeira, intitulado “Amália – A alma do fado”.

A+ / A-

Évora acolhe, pela segunda vez, o festival “Artística”, uma iniciativa da câmara municipal que apresenta propostas distintas nos domínios das artes visuais, cinema, contos, conversas, música e teatro.

Com as celebrações do Dia Internacional da Mulher à porta, o evento tem como epicentro, entre outros temas, sensibilidade feminina nas artes.

“É o mote deste festival”, refere uma nota do município, enviada à Renascença, mas também “outras questões culturais e sociais relacionadas com a mulher, enquanto criadora e produtora artística, são interrogadas e abordadas, sob várias perspetivas, como os seus direitos, por um lado, e as desigualdades de que é alvo, por outro lado.”

A organização sublinha que o festival deve ser entendido como “um encontro de formas de arte com olhar e voz femininos”, partindo do princípio “que todos os criadores, produtores de arte, ou artistas, que seguem uma sensibilidade e um senso ditos femininos, sejam mulheres ou homens, devem usufruir de total liberdade e igualdade.”

Promover e divulgar a criação e o trabalho artístico de mulheres e de expressões do feminino é, no fundamental, o objetivo deste encontro.

Quatro dias de espetáculos em diferentes locais

O programa preparado para estes dias, desenvolve-se em vários espaços da cidade património mundial: Igreja de S. Vicente, Auditório Soror Mariana, Associação “É Neste País” e, ainda, na Sociedade Harmonia Eborense (SHE).

O cinema dá o pontapé de saída, neste dia 4, com a exibição do filme “Made In Bangladesh”, de Rubaiyat Hossaino, com o apoio da SOIR Joaquim António D’Aguiar. As sessões acontecem no Auditório Soror Mariana, às 18h00 e 21h30.

A quinta-feira fica marcada por uma conversa, sob o tema “Ser Mulher na Sociedade e na Cultura”, com várias convidadas, pelas 18h00, e a leitura de poesia erótica, “E o verbo fez-se carne”, por Elisabete Piecho, com poemas recolhidos da “Antologia de Poesia Portuguesa Erótica e Satírica” de Natália Correia, pelas 21h30, ambas as sugestões na Igreja de São Vicente.

O teatro de marionetas sobe ao palco da SHE, no dia 6, pelas 17h00, com o espetáculo para famílias “A Árvore Cantada”, interpretado por Cátia Vieira, da Companhia Bipolar. Mais tarde, a Igreja de S. Vicente recebe um showcase da cantora marroquina Soukaina Fahsi, às 19h00, e um concerto da moçambicana Lenna Bahule, às 21h30.

No dia 7, a peça (M)arço (M)ulher SHE 2020, do Teatro do Oprimido, e da autoria de Cláudia Lazaro, é a proposta para as 11h30, na Igreja de São Vicente. Nessa manhã há também uma sessão de contos com Susana Cecílio, intitulada “É pró Menino e prá Menina”, na Associação “É neste país”.

Na tarde de sábado, a partir das 17h00, na SHE é inaugurada a instalação “Eu, Elas, Nós” da artista de artes visuais Anabela Calatroia, um trabalho que conta com a participação de associações culturais, escolas secundárias e outras instituições locais. A programação desse dia compreende, ainda, o showcase “O lado de dentro”, de Joana Ricardo e Mariana Correia, pelas 19h00, na Igreja de S. Vicente. Local onde também se realiza a atuação de Bia Ferreira, artista do Brasil, pelas 21h30. A noite termina com o concerto de Momma T, de Portugal, a partir das 23h00, na SHE.

Para encerrar, no domingo, dia 8, o Festival Artística propõe o espetáculo de Joana Amendoeira, com a designação de “Amália – A alma do fado”. Está marcado para as 21h30, na Igreja de S. Vicente, precisamente no Dia Internacional da Mulher.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.